Skip to main content

O que devo fazer? Decisões por meio do discernimento

Devo aceitar essa oferta de emprego? É esta a pessoa com quem devo casar? Devo ir para a pós-graduação? Como posso ajudar uma criança com problemas? Essas decisões nos deixam perplexos. Como escolhemos?

A espiritualidade inaciana há muito tempo é associada ao discernimento – a arte de descobrir como melhor responder a Deus na vida diária. Por séculos, as pessoas usaram as regras de Santo Inácio de Loyola para discernir para ajudar a fazer escolhas sábias e decisões acertadas.

O primeiro princípio é o desejo de escolher o bem. Como disse Santo Inácio: “nossa única escolha deve ser esta: eu quero e escolho o que melhor conduz ao aprofundamento da vida de Deus em mim”. As outras regras de discernimento de Santo Inácio ajudam-nos a fazer escolhas entre alternativas atraentes. De particular importância são os movimentos internos de nossos corações. As regras inacianas de discernimento fornecem uma maneira disciplinada e sistemática de refletir sobre nossos sentimentos à medida que respondemos a Deus e aos acontecimentos de nossa vida diária. Eles nos dão “o dom do coração racional”, nas palavras de David L. Fleming, SJ, o famoso escritor espiritual jesuíta.

O discernimento inaciano se baseia na convicção de que Deus fala diretamente a cada um de nós. Podemos ter confiança em nossa própria experiência de Deus ao desenvolvermos olhos para ver e ouvidos para ouvir.

Se não quiser adoecer – “Fale de seus sentimentos”

Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam em doenças como: gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna.. Com o tempo a repressão dos sentimentos degenera até em câncer. Então vamos desabafar, confidenciar, partilhar nossa intimidade, nossos segredos, nossos pecados.O diálogo, a fala, a palavra, é um poderoso remédio e excelente terapia..
Se não quiser adoecer – “Tome decisão”
A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia. A indecisão acumula problemas, preocupações, agressões. A história humana é feita de decisões. Para decidir é preciso saber renunciar, saber perder vantagem e valores para ganhar outros. As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele.

Se não quiser adoecer – “Busque soluções”
Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas.Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo. Melhor é acender o fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo gera energia negativa que se transforma em doença.

Se não quiser adoecer – “Não viva de aparências”
Quem esconde a realidade finge, faz pose, quer sempre dar a impressão que está bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho etc., está acumulando toneladas de peso… uma estátua de bronze, mas com pés de barro.Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas. São pessoas com muito verniz e pouca raiz. Seu destino é a farmácia, o hospital, a dor.

Se não quiser adoecer – “Aceite-se”
A rejeição de si próprio, a ausência de auto-estima, faz com que sejamos algozes de nós mesmos. Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida saudável. Os que não se aceitam são invejosos, ciumentos, imitadores, competitivos, destruidores. Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é sabedoria, bom senso e terapia.

Se não quiser adoecer – “Confie”
Quem não confia, não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria liames profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras. Sem confiança, não há relacionamento. A desconfiança é falta de fé em si, nos outros e em Deus.

Se não quiser adoecer – “Não viva SEMPRE triste!”
O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive.
“O bom humor nos salva das mãos do doutor”. Alegria é saúde e terapia.

Dr. Dráuzio Varella


A ilha dos sentimentos

Era uma vez uma ilha, onde moravam todos os sentimentos: a Alegria, a Tristeza, a Sabedoria e todos os outros sentimentos. Por fim o amor. Mas, um dia, foi avisado aos moradores que aquela ilha iria afundar. Todos os sentimentos apressaram-se para sair da ilha.

Pegaram seus barcos e partiram. Mas o amor ficou, pois queria ficar mais um pouco com a ilha, antes que ela afundasse. Quando, por fim, estava quase se afogando, o Amor começou a pedir ajuda. Nesse momento estava passando a Riqueza, em um lindo barco. O Amor disse:

– Riqueza, leve-me com você.
– Não posso. Há muito ouro e prata no meu barco. Não há lugar para você.

Ele pediu ajuda a Vaidade, que também vinha passando.

– Vaidade, por favor, me ajude.
– Não posso te ajudar, Amor, você esta todo molhado e poderia estragar meu barco novo.

Então, o amor pediu ajuda a Tristeza.

– Tristeza, leve-me com você.
– Ah! Amor, estou tão triste, que prefiro ir sozinha.

Também passou a Alegria, mas ela estava tão alegre que nem ouviu o amor chamá-la.
Já desesperado, o Amor começou a chorar. Foi quando ouviu uma voz chamar:

– Vem Amor, eu levo você!

Era um velhinho. O Amor ficou tão feliz que esqueceu-se de perguntar o nome do velhinho. Chegando do outro lado da praia, ele perguntou a Sabedoria.

– Sabedoria, quem era aquele velhinho que me trouxe aqui?

A Sabedoria respondeu:

– Era o TEMPO.
– O Tempo? Mas porque só o Tempo me trouxe?
– Porque só o Tempo é capaz de entender o “AMOR”.”

Autor: Desconhecido.

O poder das palavras: chega ferir as pessoas com elas

O poder das palavras é tão grande, que além de ferir a pessoa quando são ditas, podem ficar gravadas para sempre no coração e na alma, criando inseguranças e rompendo relações.

Você é uma pessoa que se comunica negativamente? Detenha os danos e salve suas relações.

Os seres humanos são seres sociais, o que faz com que mantenhamos uma comunicação com diferentes pessoas ao longo do dia.

Essa comunicação pode acontecer em diferentes situações, perspectivas e estados de ânimo e, nem sempre é simples manter uma comunicação saudável com aqueles que nos rodeiam.

Pode acontecer de que não sejamos bons expressando nossas ideias e sentimentos, que não saibamos nos comunicar num relacionamento, ou que simplesmente não prestemos atenção no momento de interagir com os demais.

Tudo isso pode fazer com que nos tornemos pessoas indesejáveis para as pessoas que nos cercam. Existem quatro tipos muito claros de má educação:

1. Críticas aos demais

Tudo bem levantar a voz quando está acontecendo algo de que não gostamos ou que, de alguma maneira, nos afeta. O problema aparece quando parece que só gastamos nosso tempo para recriminar e acusar as pessoas ao nosso redor. Essas críticas sempre demonstram a inferioridade do outro e podem começar com:
– “É que você…”
– “Você é…”
– “Acho que você devia…”
– “Seria melhor se você…”
– “Sua família, seus amigos…”

2. Declarações universais

Qualquer tipo de frase que generalize ou gere estereótipos sobre pessoas ou condutas, por exemplo:

– “Você sempre…”
– “Vocês nunca…”
– “Você é tão…”
– “Você está sempre…”
– “Outra vez…”

3. Atenção negativa na pessoa, sem levar em conta o problema

Em toda situação que se apresenta, existem dois aspectos que devemos levar em conta: as pessoas envolvidas e o problema suscitado. Quando prestamos uma atenção negativa à pessoa e não demonstramos interesse no problema real, está acontecendo uma péssima comunicação.

Exemplo de má comunicação: “Você nunca faz nada!” e “Você é um fraco!”
Exemplo de boa comunicação: “Sei que você está muito ocupado, mas você podia me ajudar pelo menos limpando e organizando seu quarto.”

4. Desvalorizar sentimentos

As pessoas são sensíveis por natureza, inclusive aquelas que não costumam demonstrar seus sentimentos. Por isso, desvalorizar ou invalidar sentimentos pode ser justamente o que vai levar um relacionamento ao fim. Deixamos de valorizar sentimentos quando não reconhecemos emoções, minimizamos, ignoramos ou julgamos negativamente. Por exemplo:

– “Sua opinião não me interessa.”
– “Não ligo nem um pouco para o que você sente.”
– “Não seja dramático.”
– “Não fique tão feliz, porque na verdade você não fez nada de surpreendente.”
O poder das palavras aplicado à comunicação
Mesmo que todos nós sejamos seres autossuficientes com grandes capacidades e qualidades, sempre precisamos escutar e sermos escutados pelas outras pessoas. Sempre devemos pensar que a forma através da qual agimos hoje irá definir nosso futuro, e se ferirmos as pessoas que nos acompanham atualmente, no fim das contas elas estarão cansadas, irão nos evitar e, finalmente, se afastarão totalmente do nosso convívio. Não se trata de mentir para se conformar, mas sim de ser inteligente na comunicação com os demais.

Colaboração: Katiusca Cia Trautmanis

De: A mente é maravilhosa

O que há de errado comigo

Muitos de nós passamos por sentimentos, tais como vergonha, solidão, ódio, ou  diversas sensações  de deficiências.

Assim muitos de nós gastamos enormes  energias  se sentindo assim.

Como é que estes sentimentos  afetam nossas vidas?

Ela afeta tudo. Afeta até  essa leitura neste momento.

Sentimos preocupados em falhar e temos de nos acalmar.

Cada um de nós crescemos com conjunto de normas elaboradas  por nossos cuidadores e a cultura que  nos informou como agir, a fim de ser amado ou respeitado.

Porem, não somos perfeitos. Todos nós causamos danos em nós e nos outros.

Por vezes, causamos damos de maneira que é muito difícil perdoar.

Veja como é nossa reação aos sentimentos. Vamos dizer que você está passando por um bosque e  vê um cão próxima a uma árvore e  acaricia o pequeno cão, mas ele pula sobre você com seus dentes afiados para atacá-lo. Nesse momento você deixa de ser amigável e fica  com raiva do cão. Mas ai você vê que a pata do cão está em uma armadilha. Então você deixa a raiva de lado para dizer: “Oh, coitadinho.”

Nós ainda fazemos o que precisamos  para nos proteger, mas nos dá a qualidade do coração que nos permite responder à situação de uma forma muito mais compassivo e inteligente.

Outro exemplo que li e achei sensacional.e

Uma garota estava nas drogas, e suas notas na escola estavam em queda livre.

A mãe estava  irritada com sua filha. Estavam em um impasse muito ruim. Resumindo toda história, a mãe reconheceu o erro dizendo: “Eu falhei com ela. Isso está acontecendo porque eu sou uma mãe ruim. Eu sou uma pessoa terrível. Eu sinto que eu falhei

Qual será  a sensação desta mãe que sentiu  falhando com  alguém?

Foi sentimento de vazio e dor ?De fracasso?  Tristeza na  alma?

Qual seria o melhor remédio, dizer a filha: “Sinto muito, e eu te amo.” ?

Certamente seria ideal e com o  degelo  começariam a  comunicar.

Parece que precisamos trabalhar em nós mesmos antes de começar a trabalhar em nossos relacionamentos.

Nós estamos feridos nos relacionamentos, e nós curamos nos relacionamentos.

No campo espiritual, você pode ouvir pessoas dizendo: “Você não pode olhar para outras pessoas, siga o seu próprio anjo. Mas a verdade é que outra pessoa em sua vida pode ser que é um espelho da tua bondade, que pode sentir com compaixão a sua vulnerabilidade.

Portanto solte as amarras da  auto-recriminação,  você  vai se tornar mais capaz de responder aos outros de uma maneira sábia e amorosa.

Confusão espiritual

Há hospitais que atendem problemas de ódio, angustia, confusão espiritual ?

Será que algum dia os centros médicos atenderam os pacientes com estas enfermidades?

Todos nós sabemos o que é ter uma alma doente quando nosso emocional esta abalado com feridas que aparecem por problemas sociais, financeiros, conjugais, familiares e até profissional.

Para piorar as coisas, paralelamente estamos vivendo com dificuldades em vários segmentos neste Brasil.

Pois bem, vamos ser positivos e esquecer estes momentos ruins?

Seja otimista, e seca essas feridas com pensamentos mais saudáveis.

Viva de forma simples e recuse qualquer pensamento de ódio de não possuir fortunas.

Estude e medite os mistérios mais profundos de como não fazer a coisa errada para não carregar os sentimentos de culpa.

Dê mais vida aos seus ideais, seja qual for seu segmento religioso.

Acredite com mais confiança os ensinamentos de Jesus, lendo a Bíblia mesmo que seja dois a três minutos antes de dormir.

Aprecie o que recebemos da divindade as coisas da natureza.

Quando foi sua ultima caminhada numa estrada de terra com cheiro de mato?

Tenha sua própria visão de como funciona a vida, a morte, o que você veio fazer aqui neste planeta.

Tenha pensamentos já definidos que quando você morrer (isso temos 100% de certeza) para onde você vai após a morte.

Escute menos o que outros falam por ai de desastres, assaltos, corrupção.

A vida é curta. Aproveite cada momento.

Jogue no lixo a raiva, ódio, e o ciúme.