Skip to main content

A carne é fraca

Quando alguém procura uma desculpa para justificar suas fraquezas, é comum ouvirmos a afirmativa de que a carne é fraca.

A culpa, portanto, é da carne, ou seja, do corpo físico.

Esse é um assunto que merece mais profundas reflexões.

Hahnemann, criador da medicina homeopática, fez a seguinte afirmativa:

O corpo não dá cólera àquele que não na tem, do mesmo modo que não dá os outros vícios. Todas as virtudes e todos os vícios são inerentes ao espírito. A não ser assim, onde estariam o mérito e a responsabilidade?

Sábia consideração essa, pois encerra grandes verdades.

Culpar o corpo pelas nossas fraquezas equivaleria a culpar a roupa que estamos usando por um acesso de cólera.

Quando a boca de um guloso se enche de saliva diante de um prato apetitoso, não é a comida que excita o órgão do paladar, pois sequer está em contato com ele.

É o Espírito, cuja sensibilidade é despertada, que atua sobre aquele órgão através do pensamento.

Se uma pessoa sensível facilmente verte lágrimas, não é a abundância das lágrimas que dá a sensibilidade ao Espírito, mas precisamente a sensibilidade desse que provoca a secreção abundante das lágrimas.

Assim, um homem é músico não porque seu corpo seja propenso à musicalidade, mas porque seu Espírito é musicista.

Como podemos perceber, a ação do Espírito sobre o corpo físico é tão evidente que uma violenta comoção moral pode provocar desordens orgânicas.

Quando sofremos um susto, por exemplo, logo em seguida vem a sudorese, o tremor, a diarreia.

Outras vezes, um acesso de ira pode provocar dor de cabeça, taquicardia, e até mesmo deixar manchas roxas pelo corpo.

Quanto às disposições para a preguiça, a sensualidade, a violência, a corrupção, igualmente não podem ser lançadas à conta da carne, pois são tendências radicadas no Espírito imortal.

Se assim não fosse, seria fácil, pois não teríamos nenhuma responsabilidade pelos nossos atos, desde que, uma vez enterrado o corpo, com ele sumiriam todas as fragilidades e os equívocos cometidos.

Toda responsabilidade moral dos atos da vida física competem ao Espírito imortal. Nem poderia ser diferente.

Assim, quanto mais esclarecido for o Espírito, menos desculpável se tornam as suas faltas, uma vez que, com a inteligência e o senso moral, nascem as noções do bem e do mal, do justo e do injusto.

Do livro Hahnemann,
o apóstolo da medicina espiritual, de Hermínio C. Miranda,

Reflita…

Ilha do Cardoso

O dia mais belo?

Hoje

A coisa mais fácil?

Errar

O maior obstáculo?

O medo

O maior erro?

O Abandono

A raiz de todos os males?

O egoísmo

A distração mais bela?

O trabalho

A pior derrota ?

O desânimo

Os melhores professores?

As crianças

A primeira necessidade?

Comunicar-se

O que mais lhe faz feliz?

Ser útil aos outros

O maior mistério?

A morte

O pior defeito?

O mau humor

A pessoa mais perigosa?

A mentirosa

O pior sentimento?

O rancor

O presente mais belo?

O perdão

O mais imprescindível?

O lar

A rota mais rápida?

O caminho certo

A sensação mais agradável?

A paz interior

A proteção efetiva?

O sorriso

O melhor remédio?

O otimismo

A força mais potente do mundo?

A Fé

As pessoas mais necessárias?

Os pais

A mais bela de todas as coisas?

O amor

A inteligência sem amor, te faz perverso.
A justiça sem amor, te faz implacável.
A diplomacia sem amor, te faz hipócrita.
O êxito sem amor, te faz arrogante.
A riqueza sem amor, te faz avaro.
A docilidade sem amor te faz servil.
A pobreza sem amor, te faz orgulhoso.
A beleza sem amor, te faz ridículo.
A autoridade sem amor, te faz tirano.
O trabalho sem amor, te faz escravo.
A simplicidade sem amor, te deprecia.
A oração sem amor, te faz introvertido.
A lei sem amor, te escraviza.
A política sem amor, te deixa egoísta.
A fé sem amor te deixa fanático.
A cruz sem amor se converte em tortura.
A vida sem amor… não tem sentido………

Autor desconhecido

Recebido de:  Elisabeth Flausino Rodrigues


Coisas irrevogáveis para a vida

Três coisas irrevogáveis para a Vida são:

O Tempo

As Palavras…

As Oportunidades …

Três coisas que não deves negar a tua Vida são …

Serenidade …

Honestidade …

E a Esperança …

Três coisas que deterioran a sua Vida são …

O orgulho …

A arrogância …

E a Raiva ….

Três coisas que só voce escolhe …

Teus Sonhos …

Teus Éxitos …

E o seu Destino …

Três jóias que se tem na Vida são …..…

A Autoestima

O Amor .. …

Os Verdadeiros Amigos …

Vida

  • Já perdoei erros quase imperdoáveis,
    tentei substituir pessoas insubstituíveis e
    esquecer pessoas inesquecíveis”.
  • Já fiz coisas por impulso,
    Já me decepcionei com pessoas
    quando nunca pensei me decepcionar,
    mas também decepcionei alguém.
  • Já abracei pra proteger,
  • Já dei risada quando não podia,
  • Já fiz amigos eternos,
  • já amei e fui amado,
    mas também
    já fui rejeitado,
  • Já fui amado e não soube amar.
  • Já gritei e pulei
    de tanta felicidade,
    já vivi de amor
    e fiz juras eternas,
    mas “quebrei a cara”
    muitas vezes!
  • Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
  • Já liguei só pra escutar uma voz,
    Já me apaixonei por um sorriso,
  • Já pensei que fosse morrer de tanta saudade
    e…
  • …tive medo de perder alguém especial
    (e acabei perdendo)! Mas sobrevivi!
  • E ainda vivo!
    Não passo pela vida…
    e você também não deveria passar. Viva!!!
  • Bom mesmo é ir a luta com determinação,
    abraçar a vida e viver com paixão,
    perder com classe e vencer com ousadia,
    porque o mundo pertence a quem se atreve
    e
    A VIDA É MUITO
    para ser insignificante”
  • De: Charles Chaplin
    Recebido de: Edileni Pinelli Beraldo