Skip to main content

A Ansiedade e o Medo de Falhar!

Você pensa demais antes de fazer as coisas e muitas vezes acaba não fazendo nada? Se vê preso(a) ou paralisado(a) em algumas situações com medo e insegurança do que fazer, de qual decisão tomar?

Analisa tudo, calcula tudo, planeja tudo, pensa em todas as possibilidade e fica desejando o risco zero?

Quer resolver os problemas das pessoas e do mundo? Adora check lists, se atenta de forma minuciosa a detalhes, regras, organização e horários? É visto pelas pessoas a sua volta como perfeccionista?

Então, esse vídeo pode ser para você! – Teimosia, rigidez, inflexibilidade, dificuldade de se desprender de objetos, preocupação excessiva com regras, listas, organização, horários, perfeccionismo que interfere na conclusão de tarefas, dedicação excessiva ao trabalho e à produtividade, em detrimento de atividades de lazer e amizades, inflexibilidade em assuntos de moralidade, ética ou valores, incapacidade de desfazer-se de objetos usados ou inúteis, relutância em delegar tarefas, adoção de um estilo miserável quanto a gastos pessoais…essas são algumas das principais características dos pacientes ansiosos –

Tem esse desejo de prever as coisas, de controlar o que vai acontecer, de medir, calcular e por isso há uma busca constante pelo planejado, pelo estruturado, pelo correto, pelo perfeito, pelo garantido, o 100%.

Como ele não quer falhar, ele não quer correr riscos. Mas é justamente no risco, no poder enfrentar as situações como elas se apresentam sem ficar nesse planejamento excessivo que se encontra o prazer, o bom e a possibilidade de ter mais, experimentar outras coisas e sair do já conhecido. –

Por isso muitas vezes, os ansiosos ficam paralisados. Então tem-se que a ansiedade nos coloca em movimento ou nos paralisa, porque na ansia de fazer você vai pra fora, vai fazer, lida com aquilo, enfrenta, se mexe. Ou então fica idealizando tanto, imaginando tanto , fantasiando tanto que nada faz.

Quer-se o garantido, o 100% certo. E quando falamos da realidade estamos falando do que se apresenta, do que está ali, do que não é garantido, do que não sai estruturado, certinho, equalizado. –

Esse evitamento, adiamento das situações e dos problmas, torna a coisa maior, a questão a ser resolvida fica grandiosa, monstruosa e quanto mais se adia, pior fica e isso torna a ansiedade e a angústia ainda maiores. –

O ansioso dedica tempo e energia nessa idealização, nessa ilusão de como as coisas têm que ser e aí se esquece da realidade, do que pode efetivamente ser feito, do que está ao seu alcance, o que de fato ele consegue, sabe e tem conhecimento, recursos e condições para fazer. E não do que você gostaria de ter para poder fazer. –

Quanto mais se vive e se alimenta essa fantasia (de que tenho que fazer assim, desse jeito senão não está bom) , o que poderia ser feito de fato, vai ficando para trás até cair na frustração, no desânimo.

É por isso que ele quer fazer tudo rápido pra se livrar logo daquilo, pra se livrar do sofrimento, mas o que ocorre é que ele acaba dando de cara com ele, o sofrimento, porque ao fazer rapido pra se livrar ele não consegue se empenhar e fazer do que jeito que ele queria e aí vem a frustração por não ter alcançado o resultado desejado – Há uma demanda de amor que é a necessidade primaria do ser humano, o amor dos pais.

Por isso, ele repete em todos os seus relacionamentos (amizades, no trabalho, em casa, com o marido, o namorado, a esposa) essa busca por uma autorização, uma aprovação. Como se dissesse em todas as atitudes: o que estou fazendo está certo? Está bom? O que você acha? –

Para poder ter mais elogios, ele se coloca num papel de alta eficiência e sai querendo resolver tudo, todos os problemas, na maior parte das vezes são os problemas dos outros e aí ele sai pegando demanda que nem é dele.

Nesse vídeo, proponho essas reflexões: Porque esse medo tão grande de errar? Porque esse evitamento das situações e dos problemas? Porque essa busca constante por reconhecimento e aprovação? O que você quer para a sua vida?

Roberta Chiconi Psicóloga CPR 06/112456 Contato: (19) 99152.3645 Av. Paulista, 684 – Jardim Colina – Americana/SP

 

 

Síndrome do pânico

Síndrome do pânico – Medo de ter Medo

A ansiedade e o medo desproporcionais podem trazer muitos prejuízos emocionais e também desconfortos físicos, tais como: tontura, aperto no peito, enjoo, tremores, formigamento nas mãos e nos pés, sudorese excessiva, taquicardia e aumento na pressão arterial, etc. Esses sintomas podem levar o paciente a ter uma crise de ansiedade ou uma crise de pânico e o mesmo pode desejar sair imediatamente do local onde está (como fuga do desconforto) para buscar segurança. Todas essas sensações físicas assustam e causam uma sensação de perda do controle de si mesmo, por isso os pacientes relatam, frequentemente, muito medo de sentir medo, muito medo de terem novas crises e não serem socorridos caso algo muito ruim lhes aconteça. Por serem sinais reais que o corpo está emitindo, o paciente acredita estar tendo um infarto ou AVC, por exemplo, e que está prestes a ser acometido por algo muito sério. Porém, tudo isso, pode estar relacionado à questões emocionais. Sabendo o que está havendo, é possível buscar auxílio profissional (psicólogo e/ou psiquiatra) e tratar a psicopatologia que traz todos esses sintomas, a chamada Síndrome do Pânico.Roberta ChiconiPsicóloga CRP 06/112456Endereço: Av. Paulista, 684 – Jardim Colina – Americana/SPTelefone: (19) 99125.3645

Posted by Roberta Chiconi Psicóloga on Friday, February 23, 2018

A ansiedade e o medo desproporcionais podem trazer muitos prejuízos emocionais e também desconfortos físicos, tais como: tontura, aperto no peito, enjoo, tremores, formigamento nas mãos e nos pés, sudorese excessiva, taquicardia e aumento na pressão arterial, etc. Esses sintomas podem levar o paciente a ter uma crise de ansiedade ou uma crise de pânico e o mesmo pode desejar sair imediatamente do local onde está (como fuga do desconforto) para buscar segurança.

Todas essas sensações físicas assustam e causam uma sensação de perda do controle de si mesmo, por isso os pacientes relatam, frequentemente, muito medo de sentir medo, muito medo de terem novas crises e não serem socorridos caso algo muito ruim lhes aconteça.

Por serem sinais reais que o corpo está emitindo, o paciente acredita estar tendo um infarto ou AVC, por exemplo, e que está prestes a ser acometido por algo muito sério. Porém, tudo isso, pode estar relacionado à questões emocionais. Sabendo o que está havendo, é possível buscar auxílio profissional (psicólogo e/ou psiquiatra) e tratar a psicopatologia que traz todos esses sintomas, a chamada Síndrome do Pânico.

Roberta Chiconi
Psicóloga
CRP 06/112456
Endereço: Av. Paulista, 684 – Jardim Colina – Americana/SP
Telefone: (19) 99125.3645

 

 

Como está seu mau humor ?

Você já esteve de mau humor ? Se sim, eventualmente, conseguiu sair dessa fase ruim.
Se você nunca esteve de mau humor, certamente é uma pessoa iluminada. Você não é deste planeta. Ola “ET” tudo bem? kkkkkk

A próxima vez que você entrar neste estado, não espere apenas que a nuvem escura seja dissipada. Há etapas que você pode tomar para melhorar seu humor, e o primeiro é descobrir o que está causando isso.

Porque não lidar e colocar em prática para banir e controlar o mau humor :
Sentir-se culpado pode ter um enorme impacto no nosso humor. Esquecer o aniversário de alguém pode fazer você se sentir mal mesmo pedindo desculpas. A melhor maneira de resolver sentimentos de culpa é expiar suas ações. Se você ainda se sente mal com o aniversário perdido, leve alguns minutos para enviar um e-mail ou um watts de desculpas. Ele apreciara o gesto e você se sentirá melhor.

Pequenas rejeições são uma lesão emocional extremamente comum, especialmente na era das mídias sociais. Quando você publica suas fotos de férias no Facebook ou Instagram e ninguém “curte”, pode te magoar. No entanto, você não sabe das circunstâncias, é importante não levar as coisas pessoalmente. Muitas vezes as pessoas consultam as mídias sociais em tempo real; enquanto aguardam o elevador, ou em um consultório, ou preso a um semáforo, ou em uma reunião, ou no metrô. Fique tranquilo, você pode assumir que eles estavam muito ocupados .

Tarefas pendentes podem derrubar nosso humor. Mas você não precisa completar todas as tarefas pendentes para melhorar seu humor. Estudos descobriram que fazer um plano para abordar tarefas é suficiente para eliminar a irritação mental e melhorar o seu humor. Então, decida , mas a obra para excluir as que não são importantes.

Muitos de nós podemos ficar presos ao ver cenas perturbadoras que ocorreram dias, semanas ou mesmo meses atrás. Quando a imagem perturbadora continuar a te infernizar sua mente, use técnicas de distração para reduzir a intensidade. Estudos mostram que mesmo uma distração de dois minutos como fazer uma palavra cruzada ou ouvir uma música são suficientes para restaurar seu humor.

Ter um baixo dia de auto-estima ao acordar às vezes, sentimos mal sem motivo aparente. Portanto, quando está em uma queda, faça algo para fazer você se sentir bem com você mesmo. Elabore e libere algumas endorfinas, use algo em que se sinta bem; planeje algo que você esperará; ou ligue para alguém que realmente o aprecie e faça você se sentir bem com quem você é.

O medo pode atrapalhar, numa apresentação no trabalho ou uma prova importante por dias ou até semanas antes. Para sair dessa fixação, concentre-se em coisas que estão dentro do seu controle: aprimorando seu trabalho diário, criando apoio entre colegas, ou fazendo um cronograma de estudo detalhado pode ajudar a reduzir o medo do fracasso.

Podemos sentir desconectados do mundo real. Podemos ficar tão envolvidos na vida que negligenciamos nossas necessidades emocionais e sociais e começamos a nos sentir desligados das pessoas que nos rodeiam. Para passar por esse sentimento, dê um “alô” a um ente querido ou faça uma pausa e brinque com seu animal de estimação. Estudos também descobriram que mesmo as interações sociais breves com os conhecidos podem melhorar o humor.

Ficando preso em pequenos aborrecimentos atrapalham como: uma conta de telefone exagerada, uma multa de trânsito, um seguro não pago, pequenos acidentes com seu veículo, um pneu furado, etc… – podem arruinar o nosso humor. Para restaurá-lo, e equilibrar faça uma lista de  coisas que você agradece por isso realmente importa – seus filhos são saudáveis, você tem um emprego, você tem amigos que se importam, etc.

Tá com fome. Saiba que afeta nosso humor e muito… faça um lanche rapidinho, engane seu estomago.

Tá esgotado ? As crianças não são as únicas que ficam irritadas quando estão cansadas. Quando não dormimos o suficiente, isso afeta significativamente nosso pensamento, criatividade e especialmente nosso humor geral. Se você puder, pegue uma soneca de energia de 15 minutos. Mesmo uma pequena soneca pode ser suficiente para recarregar suas baterias.


  • A felicidade é um estado de espírito. Se a sua mente ainda estiver num estado de confusão e agitação, os bens materiais não vão lhe proporcionar felicidade. Felicidade significa paz de espírito………..Dalai Lama
  • Lembremo-nos de que o homem interior se renova sempre. A luta enriquece-o de experiência, a dor aprimora-lhe as emoções e o sacrifício tempera-lhe o caráter. O Espírito encarnado sofre constantes transformações por fora, a fim de acrisolar-se e engrandecer-se por dentro…………..Chico Xavier
  • A verdadeira amizade significa unir muitos corações e corpos num coração e num espírito…………..Pitágoras

Administrando o medo

Recente pesquisa revelou que muitos brasileiros vivem dominados pelo medo.

Medo que vai desde o de ser assaltado, perder um filho, descobrir que tem uma doença grave, não conseguir pagar as contas, a sofrer um acidente, ter um ataque cardíaco ou perder o parceiro.

Alguns dos entrevistados revelaram que nem saem de casa ou que, em casa, vivem em sobressalto, ao menor ruído estranho.

Naturalmente, vivemos num mundo onde há muita violência, maldade e dificuldades.

Mas é importante se pense um pouco, a fim de não se engrossar o rol dos que vivem sob a injunção do medo, perdendo anos preciosos das próprias vidas.

Assim, não sofra por antecipação. Algumas pessoas, sugestionáveis, assistem imagens violentas na TV e acham que fatos como aqueles poderão acontecer com alguém da sua família.

Tomar precauções é recomendável. A ninguém se pede que seja incauto, imprevidente.

Mas daí a ficar pensando, a toda hora, que algo terrível vai acontecer, será o mesmo que desistir da vida desde agora.

Pessoas que assim agem podem não se tornar vítimas de acidentes, de assaltos ou de doenças, mas do próprio medo.

Medo que as manterá infelizes, isoladas.

Por isso, nunca deixe que o medo o paralise. Faça o que tiver que fazer: ir à escola, às compras, ao templo religioso.

Se enfrentar medos e preocupações sozinho lhe parecer difícil, procure ajuda. Pode ser de um psicólogo, de grupos de pessoas que sofrem problemas semelhantes ou de um bom amigo.

E, em vez de se torturar com uma infinidade de contas a pagar, pense mais antes de adquirir o novo eletrodoméstico, de realizar a viagem dos seus sonhos, comprar a roupa da moda.

Aprenda a viver de acordo com os recursos que dispõe. Dê um passo de cada vez. Planeje férias com antecedência. Programe-se.

Não gaste tudo que ganha. E, muito menos, não gaste o que ainda não ganhou.

Não fique pensando em ganhar na loteria, na sena, na loto, no programa televisivo. Trabalhe e sinta orgulho de poder, com seu próprio esforço, ir adquirindo o de que necessita.

Em vez de ficar pensando na possibilidade de se manifestar essa ou aquela doença terrível, opte por fazer check-up anual.

Não espere para ir ao médico somente quando a dor o atormente, um problema de saúde se manifeste.

Procure o médico para saber se está tudo bem com você. Faça exames. Pratique exercícios sob supervisão.

Ande até a panificadora, em vez de ir sempre de carro. Pratique jardinagem, lave o carro.

Pense, sobretudo, positivamente: Deus protege a minha vida. Sou abençoado por Deus. Sou filho de Deus.

Trabalhe com alegria, ganhando as horas. Não transforme o seu ambiente profissional em um cárcere de torturas diárias.

Sorria mais. Faça amigos. Converse com os amigos. Estabeleçam, entre vocês, um cuidado mútuo.

Isso no que se refere a você, aos seus filhos, ao seu patrimônio.

Unidos seremos fortes.

Enfim, não tenha medo do medo. Ele é um legado saudável e protetor. Mas se torna um problema quando fica exagerado ou irracional.

* * *

Mantenha sua confiança em Deus, que governa o mundo e zela por sua vida.

De todos os medos o que mais o deve preocupar é o de perder a presente reencarnação, por comodismos e invigilância.

E para este, a melhor solução é realizar, a cada dia, o melhor de si, entregando-se a Deus.

Autor:
Redação do Momento Espírita com base no artigo Você tem medo de quê?, da Revista Seleções do Reader´s Digest, de fevereiro de 2006.

A projeção e as formas-pensamentos

Há alguns anos atrás passei por algumas dificuldades, tanto ná área financeira quanto no campo afetivo. Foi uma fase muito difícil da minha vida, porém, analisando a fundo tudo o que estava passando e buscando despertar minha consciência, soube canalizar forças e superar minhas dificuldades

Para isso, contei com a ajuda de irmãos espirituais que estiveram ao meu lado, não como “babás espirituais”, mas como amigos dispostos a me orientar e amparar, sem a intenção paternalista de percorrer o caminho que só cabe a mim percorrer. Entre estes espíritos amigos, está um que se apresentou como sendo o exu Sr. Tranca-Ruas.

Certa noite, já de madrugada, despertei projetado fora do corpo físico, no corredor da minha casa, que liga a sala com a cozinha. Antes que pudesse pensar em fazer qualquer coisa, algo me chamou a atenção no fundo do corredor. Era uma forma monstruosa, parecida com aquele fantasma verde do filme Ghostbusters – Os caça-fantasmas!

Ela veio voando na minha direção e me atravessou. Olhei para trás e vi outro monstro, parecido com o primeiro, que também voou na minha direção, me atravessando.

Pensei, então: – Meu Deus, são espíritos obsessores! Estou sendo assediado.

Imediatamente, comecei a rezar o Pai- Nosso, mas não consegui terminar. Aqueles monstros não paravam de voar, atravessando meu perispírito, fazendo caretas e me provocando no intuito de me assustar. E estavam conseguindo! Recomecei a orar, e nada de conseguir terminar a prece. Então, não tem jeito! – pensei. Preciso pedir auxílio a algum guardião!

Iniciei, mentalmente, uma das preces cantadas do exu Sr. Tranca-Ruas. Assim que comecei a entoar seu ponto de evocação, um espírito de estatura mediana, vestindo uma camisa preta, lenço vermelho na cabeça e segurando uma espécie de cajado em uma das mãos, atravessou a porta que sai do terraço para a sala de estar.

Entrou e, antes que me dissesse qualquer coisa, fui logo pedindo socorro. Disse que estava sendo assediado por espíritos obsessores monstruosos. Ele, então, com muita serenidade e confiança me respondeu:

– Não são espíritos obsessores. São formas-pensamento. São criações emanadas da sua mente. Todos os seus medos e insegurança estão gerando essas formas que estão te assustando.

– E o que posso fazer para acabar com elas? – perguntei ansiosamente.

– Autoconfiança! Se você confiar mais em si mesmo, em seus potenciais, bastará dizer “sumam!” e elas desaparecerão para sempre. Quer ver?

Neste momento, ele ergueu seu cajado e bateu com força, mas sem violência, no chão, e imediatamente aquelas formas-pensamento desapareceram.

Senti uma força me puxar de volta ao corpo físico e acordei (na verdade já estava acordado, só que fora do corpo), voltando a manifestar minha consciência no plano físico denso.

Levantei-me da cama e fui beber um copo d’água, refletindo nos ensinamentos que aquele espírito amigo havia me passado.

Realmente, quantos de nós somos responsáveis pelas dificuldades por que passamos! Quantas vezes, devido a nossa imprudência, atraímos situações que nos causam sofrimento que poderíamos evitar se vivêssemos com maior lucidez espiritual. Quantas vezes geramos pensamentos de medo, acreditando que somos incapazes de superar determinada situação, nos sentindo cada vez mais fracos. E o que é pior, passamos a usar drogas ou medicamentos na ânsia de acabar com nossa angústia. Isso quando não acreditamos que alguém fez magia negra contra nós ou que estamos sendo obsediados. Na maioria das vezes, nós mesmos é que somos os culpados. Podemos chamar isso de auto-obsessão. E quando determinada idéia é constante em nossa mente (monoideísmo) acabamos gerando as formas-pensamento. As formas-pensamento irão permanecer em torno do nosso campo mental, “gravitando” ao nosso redor, pois nós as alimentamos com nossa energia. Elas parecem ter vida própria, mas na verdade obedecem automaticamente a determinados padrões de manifestação, alguns, inclusive, que fazem parte do inconsciente coletivo. Muito médiuns clarividentes as confundem com espíritos, mas não são.

No meu caso, bastou que eu tomasse consciência de determinados pensamentos negativos que eram comuns, a ponto de serem gerados inconscientemente, para iniciar o processos de desintegração daquelas formas-pensamento.

O processo de autoconhecimento é eterno. Trabalhemos sempre nele para que possamos nos libertar da cadeia de sofrimento em que vivemos, o sansara, como diz a sabedoria oriental.

Conheça-te a ti mesmo!

Eis a lição libertadora!

Escrito por Victor Rebelo
Fonte: Revista Cristã de Espiritismo

A bagagem

Quando sua vida começa,  você tem apenas uma mala pequenina de mão…
À medida em que os anos vão passando,  a bagagem vai aumentando.
Porque existem muitas coisas  que você recolhe pelo caminho…
Você pensa que elas são importantes.
A um determinado ponto do caminho começa a ficar insuportável
carregar tantas coisas.
Pesa demais!
Então você pode escolher:
Ficar sentado  à beira do caminho, esperando que alguém o ajude, o que é muito difícil…
Todos que passarem por  ali já terão sua própria bagagem.
E você poderá ficar a  vida inteira esperando… ou
…ou você pode aliviar o peso, esvaziando a mala.
Mas, o que tirar?
Comece tirando  tudo para fora, e  vendo o que tem dentro…
AMOR
Nossa!!!
Tem bastante…
AMIZADE
E não pesa nada!!!
AMOR
AMIZADE
Mas tem algo pesado…
Você faz força para tirar…
Aí você começa a tirar, tirar e aparecem
É a RAIVA – como ela pesa!!!
a INCOMPREENSÃO,
o MEDO,
o PESSIMISMO…
Nesse momento, o DESÂNIMO  quase te puxa pra dentro da mala…
Mas você puxa-o para fora com toda a força, e aparece um SORRISO que
estava sufocado no fundo da sua bagagem…
Pula para fora outro sorriso e mais outro, e aí sai a FELICIDADE…
Você coloca as mãos dentro da mala de novo e
Agora, você vai ter que  procurar a PACIÊNCIA  dentro da mala, pois vai
precisar bastante… tira pra fora a TRISTEZA…
Procure então o restante:
Tire a PREOCUPAÇÃO, também, e deixe de lado.
Depois você pensa  o que fazer com ela…
ENTUSIASMO   ESPERANÇA CORAGEM
FORÇA  EQUILÍBRIO TOLERÂNCIA
RESPONSABILIDADE FÉ BOM HUMOR
Então…
Mas pense bem no que vai colocar lá dentro!!!
Agora é com você…
Sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo!
E não se esqueça de fazer isso mais vezes…
Pois o  caminho é  muito, MUITO LONGO.

De: Pedro Bonilha
Enviado por: Lourdes Gimenez