Skip to main content

Ciência e espírito se encontram

Pode parecer improvável que um cientista e um teólogo iriam discutir anjos ou espírito no século XXI.

Para os teólogos a mais de trezentos atrás tornou-se um constrangimento  sequer mencionar anjos ou espiritos.

Foram banidos, banalizados.

As igrejas barrocas construídas no século XVII, representavam  os  anjos como carnudo, bonito, bebês pequenos.

Através da revolução científica do século XVII, não havia espaço neles para intenções angelicais. Anjos não tinha lugar em um mundo mecanicista, exceto talvez como fenômenos psicológicos, existindo apenas dentro de nossas imaginações.

Mas essa visão de mundo mecanicista está agora a ser substituído pela própria ciência.

Embora as instituições científicas e teológicas têm ignorado anjos, pesquisas recentes têm mostrado que muitas pessoas ainda acreditam neles.

Nos Estados Unidos, por exemplo, mais de dois terços acreditam na sua existência, e um terço afirmam que, pessoalmente, senti uma presença angélica em suas vidas

Estamos entrando em uma nova fase da ciência e da teologia, onde o assunto dos anjos torna-se surpreendentemente novamente relevante.

É importante reconhecer experiências comuns que surgem em todas as culturas e religiões do mundo.

Todas as culturas, reconhecem a existência de espíritos em níveis além do humano.

Nós os chamamos de anjos, mas eles vão sob diferentes nomes em outras tradições .

Anjos constituem um dos temas mais fundamentais da experiência espiritual e religiosa humana.

O que é um anjo? E o que eles fazem?

Eles pensam profundamente. Eles são especialistas em intuição, e pode ajudar a nossa intuição.

Os anjos são agentes e colegas de trabalho com nós seres humanos. Eles guardam e defendem-nos. Eles nos inspiram e anunciam uma grande notícia para nós. Eles podem nos curar.

Thomás de Aquino diz: “Nós fazemos as obras que são de Deus, juntamente com os santos anjos.”

Anjos fazem os seres humanos felizes.

Na Idade Média, como em todas as idades anteriores, acreditava-se geralmente que os céus estavam vivos, todo o cosmos estava vivo.

Quando as pessoas pensavam de Deus no céu, eles não estavam pensando em termos de alguma vaga metáfora ou algum estado psicológico, eles estavam pensando no céu.

“Pai nosso, que estais no céu.” Hoje em dia, muitos cristãos assumem que esta é uma declaração meramente metafórico, nada a ver com o céu real. Mas esta não é a forma como as pessoas costumavam pensar. Eles pensaram que o céu estava cheio de espíritos e de Deus. E, de fato, se você pensar em Deus como onipresente, em todos os lugares, a divindade deve estar presente ao longo de todo o universo, de que nosso planeta azul é apenas um grão de areia.

Dois comentários interessantes de Albert Einstein no passado:

Qualquer pessoa que se envolva seriamente no trabalho científico acaba por se convencer de que existe um espírito que se manifesta nas leis do universo, um espírito imensamente superior ao espírito humano, diante do qual nós, com os nossos modestos poderes, temos de nos sentir humildes. Como tal, a pesquisa científica conduz a um sentimento religioso especial, que é efetivamente muito diferente da religiosidade de uma pessoa mais ingenua.

Estamos na mesma situação que uma criança que entra numa biblioteca repleta de livros em muitas línguas. A criança sabe que alguém escreveu esses livros. Não sabe de que maneira, nem compreende os idiomas em que foram redigidos. A criança tem uma forte suspeita de que existe uma ordem misteriosa na organização dos livros, mas não sabe qual é essa ordem. Esta é, parece-me, a atitude do ser humano, mesmo do mais inteligente, em relação a Deus. Vemos um universo maravilhosamente organizado e que obedece a certas leis, mas apenas compreendemos essas leis muito vagamente.

 

 

Um dia no céu

Sonhei que fui ao Céu e um anjo mostrava as diversas áreas lá existentes.

Entramos numa sala de trabalho cheia de anjos. O anjo-guia parou no primeiro departamento e disse:
-Esta é a Recepção. Aqui, são recebidas as orações com petições a Deus.

Olhei e vi muitos anjos organizando pedidos e bilhetes escritos por pessoas de todo o mundo.
Seguimos até chegarmos à segunda seção.

– Esta é a área de Embalagem e Entrega. Aqui, as graças e bênçãos solicitadas são processadas e entregues às pessoas que as pediram, disse o Anjo.

Notei que, também ali, estavam todos muito ocupados, trabalhando intensamente, tal era a quantidade de bênçãos solicitadas e que deveriam ser enviadas.

Finalmente, paramos em frente a uma pequena área e, para minha surpresa, havia só um anjo sentado ali, desocupado, não fazendo nada.

– Esta é a Seção de Reconhecimento – disse-me calmamente meu amigo, que pareceu embaraçado.

– Como é isso? Não há nenhum trabalho acontecendo por aqui? – Perguntei.

– É tão triste. – O anjo suspirou.
– As pessoas recebem as bênçãos que pediram, porém poucos enviam confirmação de reconhecimento.
– E como se confirma que recebemos as bênçãos de Deus? -Perguntei.

– Simples, basta dizer, Grato Senhor. Respondeu o anjo
– E quais bênçãos devem ser reconhecidas? – Perguntei.

– Se tens alimento em sua geladeira, roupas nas suas costas, um teto sobre sua cabeça e um lugar para dormir… Você é mais rico que 75% dos moradores deste mundo.

– Se tens dinheiro no banco, em sua carteira e algumas moedas sobrando em casa, você está entre os 8% mais bem sucedidos do mundo!

– Se tens teu próprio computador, você é parte do 1% do mundo que tem
essa oportunidade.

– Se você acordou hoje de manhã com mais saúde que doença…és mais abençoado que os muitos que nem sequer sobreviverão a este dia.

– Se nunca experimentaste o temor da batalha, a solidão da prisão, a agonia da tortura, nem as dores de sofrimento de fome,…estás à frente de 700 milhões de pessoas no mundo.

– Se podes ir a uma igreja, Mesquita ou Sinagoga, sem o temor de apanhar, ser preso, torturado,…és abençoado e invejado por mais de três bilhões de pessoas, que não podem reunir-se com outros de sua fé.

– Se teus pais estão vivos e casados, és uma raridade.

– Se podes manter a cabeça erguida e sorrir, não és a norma, és um raro exemplo a tantos que estão em dúvida e em desespero.

Ao ler esta mensagem, recebeste uma bênção dobrada, alguém pensou em ti, como um ser muito especial, e és mais abençoado que dois bilhões de pessoas no mundo que absolutamente não sabem ler.

O que podes fazer?

Tenha um bom dia, conte tuas bênçãos e, se teu coração assim querer, passe esta mensagem a outros, para lembrá-los de como são abençoados.

Ah, por alguns instantes somente, pare o que está fazendo e envie ao Departamento de Reconhecimento Divino a seguinte mensagem:
“Agradeço Senhor!
Agradeço por tudo o que tenho e por me dar a capacidade de compartilhar esta mensagem.”

TENHA UM BOM DIA !!!

Abraço com carinho.

PAZ !

Recebido de:

Ana Paula Brandão Ferreira

Dependência de Deus

Um certo Senhor, acompanhado por sua filhinha, ia subir uma montanha muito alta. Sugeriu que a menina fosse na frente e ele atrás.

Ela começou a subida com muito entusiasmo, pois queria mostrar ao pai como era forte e capaz.

O caminho, porém, tornava-se cada vez mais íngreme e difícil e a menina por isso, caía de vez em quando, mas porque era corajosa, levantava-se e punha-se novamente a subir.

Os espinhos lhe rasgavam a roupa e as carnes, mas mesmo assim, continuava a subir.

Finalmente não pôde subir mais e levou um tombo cruel. Então chorando se virou para o pai.

Ele a tomou nos braços e a levou assim até o cume. Nunca ele esperava que ela subisse sozinha.

Deus não quer que subamos a montanha da vida a sós.

Toda a nossa experiência nos ensina que temos um grande amigo invisível, mas muito real, que espera o momento em que nós cônscios da nossa fraqueza, nos voltemos para Ele, em busca da proteção e auxílio que Ele nos quer dar.

Autor Desconhecido
Enviado por: Rosileni P. de Almeida

Anjos da ladeira

Diane, uma jovem estudante universitária cristã, estava em casa naquele verão.

Foi visitar alguns amigos nesse noite e a conversa animada um pouco mais longa do que planejara, fez com que as horas avançassem noite adentro e se fez muito tarde para retornar caminhando sozinha até sua casa.

Mas não tinha medo, porque morava numa cidadezinha pequena e tranquila a poucos quarteirões dali.

Enquanto caminhava até sua casa, pediu a Deus que a mantivesse a salvo de qualquer mal ou perigo.

Quando chegou a uma viela que utilizava como atalho para chegar mais rápido até sua casa, resolveu ir por ali.

Quando estava na metade da ruazinha, notou um homem parado no final dela e parecia que a estava esperando.

Diane ficou nervosa e começou a rezar pedindo proteção a Deus. Neste instante, um sentimento de tranquilidade e segurança a envolveram, sentiu como se alguém estivesse caminhando junto dela, chegou ao final da viela e foi caminhando justamente na direção onde o homem se encontrava, mas nada aconteceu chegando bem na sua casa.

No dia seguinte leu no jornal, que uma moça havia sido estuprada naquela mesma viela, uns 20 minutos depois que ela passara por ali.

Sentindo-se mal por essa tragédia e pensando que poderia ter sido com ela, começou a chorar dando Graças a Deus por te-la cuidado e lhe rogou que ajudara à outra jovem. Decidiu então ir à delegacia de policia, acreditando que poderia reconhecer o homem e lhes contou sua historia.

O delegado lhe perguntou se estaria disposta a identificar o homem que havia visto a noite anterior naquela viela. Prontamente atendeu e sem duvidar reconheceu o homem em questão. Quando o homem soube que tinha sido identificado, rendeu-se e confessou.

O Delegado de policia agradeceu a Diane pela sua valentia e lhe perguntou se havia algo que pudessem fazer por ela, então pediu que perguntassem ao homem, porque não havia atacado a ela quando passou pela mesma viela.

Quando o Delegado perguntou ao homem, ele respondeu: “Porque ela não estava sozinha, haviam dois homens altos caminhando um de cada lado”

Moral da historia?

Não subestimes o poder de uma oração.

Dá calafrios não é?

Enviado por: Rosileni P. de Almeida

O sorriso de Deus

Havia um pequeno menino que queria se encontrar com Deus.

Ele sabia que tinha um longo caminho pela frente.

Um dia encheu sua mochila com pastéis e refrigerante e saiu para brincar no parque.

Quando ele andou umas três quadras, encontrou um velhinho sentado em um banco da praça olhando os pássaros.

O menino sentou-se junto a ele, abriu sua mochila e ia tomar um gole de refrigerante, quando olhou o velhinho e viu que ele estava com fome, então lhe ofereceu um pastel.

O velhinho muito agradecido aceitou e sorriu ao menino.

Seu sorriso era tão incrível que o menino quis ver de novo; então ele ofereceu-lhe seu refrigerante.

Mais uma vez o velhinho sorriu ao menino. O menino estava tão feliz! Ficaram sentados ali sorrindo, comendo pastéis e bebendo guaraná pelo resto da tarde sem falarem um ao outro.

Quando começou escurecer o menino estava cansado e resolveu voltar para casa mas, antes de sair ele se voltou e deu um grande abraço no velhinho.

Aí, o velhinho deu-lhe o maior sorriso que o menino já havia recebido.

Quando o menino entrou em casa, sua mãe surpresa perguntou ao ver a felicidade estampada em sua face:

– O que você fez hoje que te deixou tão feliz assim? Ele respondeu: – Passei a tarde com Deus. Você sabia, que Ele tem o mais lindo sorriso que eu jamais vi?

Enquanto isso, o velhinho chegou em casa com o mais radiante sorriso na face e seu filho perguntou: – Por onde você esteve que está tão feliz?

E o velhinho respondeu: – Comi pastéis e tomei guaraná no parque, com Deus. Você sabe que Ele é bem mais jovem do que eu pensava?

A face de Deus está em todas as pessoas e coisas que são vistas com os olhos do amor e do coração!

Que Deus abençoe você que está lendo esta mensagem e ilumine o seu coração para que você possa oferecer a muitas pessoas o sorriso de Deus, que talvez esteja guardado dentro de você enquanto muitos têm fome e sede dEle. Por isso quero oferecer a você, meu melhor sorriso!!!

“O Sorriso de Deus” (desconheço autor)

Enviado por: Mara Scalco Rosalen

Um anjo na Auto-Estrada 109

Uma mulher que conduzia um automóvel com seus filhos é a protagonista de um grande acidente entre vários automóveis.

A senhora assustada dentro de seu carro, começou a gritar: OH Deus! por favor salva a meus meninos!

Seu olhar cheio de medo focalizou no acento traseiro onde supostamente estavam seus filhos, porém tudo o que viu foi vidros quebrados e duas cadeiras de crianças destruídas.

Não se viam seus gêmeos por lado algum; ela não os escutava chorar, e temeu que tivessem sido lançados para fora do veículo.

OH Deus não os deixe morrer!!!

Com a chegada dos bombeiros e a polícia, procuraram na parte traseira porém não encontraram as crianças, os cintos de segurança estavam intactos.

Eles pensaram que a mulher estava louca e que estava sozinha no carro, porém quando a interrogaram descobriram que havia desaparecido.

Policiais a viram passar correndo, sem rumo, e gritando mais forte que o ruído, suplicando desesperadamente.

Por favor ajudem a encontrar meus filhos!

Eles só têm quatro anos de idade e estão vestidos iguais, com camisas azuis e jeans fazendo jogo.’

Um policial a ouviu e lhe disse: Estão em meu carro e não tem nenhum arranhão! …..Eles dizem que seu Papai os colocou ali, e lhes deu a cada um, um pirulito e logo lhes disse para esperar a que sua Mamãe volte para levá-los para casa.

Já procurei por todos os lados mas não pude encontrar o pai.

Provavelmente deixou a área, suponho, e isso é muito raro’.

A Mãe abraçou os gêmeos e disse, enquanto enxugava as lágrimas: ‘

Ele não pode ter deixado a área, já que ele morreu há um ano’.

O policial, mostrando-se confuso, perguntou,

Como pode ser isto verdade?

Os meninos exclamavam: ‘Mamãe, Papai veio e nos pediu que te desse um beijo por ele.. Disse que não devemos nos preocupar e que você estaria bem, e logo nos colocou neste carro com as luzes brilhantes e bonitas.

Queríamos que ele ficasse conosco porque sentimos muita saudade, porém ele só nos abraçou muito forte e disse que teria que ir.

Disse que algum dia entenderíamos e nos pediu que nos comportássemos bem, e que te disséssemos que ele sempre está cuidando de nós.’

A Mãe duvidou que o que eles diziam era verdade, porém recordou-se das ultimas palavras do Pai:’Eu cuidarei de vocês’.

O relatório dos bombeiros não podia explicar que com o carro totalmente destruído, os três ocupantes se salvaram sem nenhuma cicatriz.

Porém no relatório da polícia estava escrito em letras muito pequenas: ‘Um anjo esteve a noite na Auto-estrada 109.’

Enviado por: Iza Faraone