Skip to main content

Sem recolher detritos

O homem estava a caminho do aeroporto. O táxi rodava pela faixa devida, quando um outro veículo saiu, subitamente, de um estacionamento, cortando-lhe a frente.

O taxista pisou no freio com força, deslizou e escapou de bater em outro carro por um triz!

O motorista começou a gritar, nervoso. Porém, o taxista manteve-se inalterado. Apenas sorriu e acenou, fazendo um sinal de positivo, de maneira bastante amigável.

O passageiro do táxi, de certa forma indignado, perguntou:

Por que você fez isso? Aquele cara quase arruína o seu carro e quase nos manda para o hospital!!!

O taxista, traduzindo tranquilidade deu uma explicação singela e profunda:

Muitas pessoas são como caminhões de lixo. Andam por aí carregadas de detritos, cheias de frustrações, de raiva e traumas!

À medida que o lixo aumenta, elas precisam de um lugar para descarregar e, às vezes, descarregam sobre a gente.

Nunca tomo isso como pessoal. O problema não é meu!  É delas!

Apenas sorrio, aceno, desejo-lhes sempre o bem, e sigo em frente.

Não pego o lixo das pessoas e nem o espalho sobre os outros, seja no trabalho, em casa, ou nas ruas. Fico tranquilo…

Respiro… E deixo o lixeiro passar.

Pessoas felizes não deixam qualquer detrito estragar o seu dia.

 livro Convites da Vida, pelo Espírito Joanna de Ângelis,
psicografia de Divaldo Franco, ed. LEAL.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.