Skip to main content

Inimigos em vidas passadas, família na vida atual

De>
Richard Simonetti

Ainda que os adversários pretendam loucamente continuar a se agredir um ao outro, infalivelmente, sempre chega o momento de mudar. Exaustos de tantos rancores, sedentos de paz, os “duelistas” acabam por desejar ardentemente uma trégua, uma possibilidade de renovar seus caminhos.⁣ E um dia, após longo sono, ei-los reencarnados nas experiências em comum, ligados agora por laços de consanguinidade.⁣

Ontem inimigos, hoje irmãos.⁣

Ontem verdugo e vítima, hoje pai e filho.⁣

Ontem obsessor e obsidiado, hoje marido e mulher.⁣

Assim a Justiça Divina exige a reparação.⁣ Assim a Divina misericórdia promove a reconciliação. Assim a Sabedoria do Eterno transforma o ódio em amor. É um momento difícil, sofrida, porquanto, embora as bênçãos do esquecimento e os elos familiares, eles conservam, inconscientemente, o ressentimento. Daí a ausência de afinidade, a dificuldade de relacionamento, a mágoa indefinível, e, não raro, a aversão que experimentam entre si.⁣

A convivência com minha mãe é complicada: Nutro por ela sentimentos contraditórios de amor filial e rancor figadal que revolve minhas entranhas.⁣

Brigamos eu e meu irmão como gato e cachorro: Quando adolescentes era até natural. Agora que somos adultos é inexplicável. Ao menor desentendimento sinto-me possuído de ódio por ele, tentado a ofendê-lo e agredi-lo.⁣

Até hoje não sei como casei com minha mulher: Uma atração física irresistível talvez, mas foi só. Passado o fogo da paixão, resta invencível animosidade. Simplesmente não nos entendemos.⁣

Vivemos às turras, com intermináveis cobranças. Uma situação insustentável.⁣

Amo extremadamente meu filho mais novo: Quanto ao mais velho, não há nenhuma afinidade entre nós. Ele me desrespeita e eu não consigo ser carinhosa com ele. Há momentos em que me parece um estranho. É recíproco. Ele simplesmente me ignora.⁣

Embora se trate de uma situação desconfortável, é preciso lutar pelo aproveitamento da experiência. Não podemos perder a oportunidade de corrigir os erros, e nunca esquecer que as lições serão repetidas tantas vezes quantas forem necessárias, até aprendermos todos que somos irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.