Skip to main content

Vôo 447 – Air France

Mais uma vez estamos diante de outra tragédia coletiva. Ficamos indignados como e por que acontecem se a tecnologia de materiais esta tão avançada? Por que alguns foram salvos como ocorreu com passageiros que atrasaram para o embarque, outro foi orientado pela sua mãe a embarcar em outro vôo em S.Paulo e não no Rio por precaução e intuição? As outras tragédias ainda estão em nossa memória como: Vôo da Gol com o Legacy no Mato Grosso em pleno ar, da TAM em Congonhas, incêndio do edifício Joelma em SP, as torres gêmeas do World Trade Center no terrível ataque de 11 de setembro e outras como acidentes de ônibus, trens, terremotos, inundações, tsunamis ou mesmo um automóvel com toda a família.
Para a imensa maioria surge à revolta, o desespero a descrença. É dito que Deus condena, é vingativo, que não se importa com nós. Portanto a fé fica abalada frente a essas tragédias.
È caro internauta….. “A cada um segundo suas obras”. O que Jesus quis dizer? Serão as leis divinas que regem questões ético-morais? De que forma essa justiça funciona?
Bem… vamos por partes; é importante lembrar que a justiça dos homens esta atrelada a justiça humana com base nos códigos legais criados por nós aqui da Terra. Portanto diante deste vôo da Air France das causas materiais e físicas será julgado por um grupo de pessoas que definirá as penalidades. Mas, e as leis divinas? Vamos voltar um pouco no tempo exatamente no dia 17 de dezembro de 1961, em Niterói (RJ), onde ocorreu um incêndio que atingiu proporções devastadoras num circo lotado de crianças, jovens, adultos e velhos que em poucos minutos centenas de pessoas foram queimadas, asfixiadas pela fumaça, pisoteadas pela multidão em desespero.
Para quem acredita em “comunicações”, ou seja, o telefone toca de lá para cá, há um minucioso esclarecimento de Humberto de Campos, livro “Cartas e crônicas”, editora FEB, cap.6 que, no ano 177, em Lião, França, improvisara-se grande circo. Era a época do imperador Marco Aurélio, onde todos que eram adeptos ao Nazareno junto com cavalos foram jogados na arena molhada com resinas de óleo para serem incinerados ou pisoteados pela fúria dos cavalos. O número é impressionante, mais de vinte mil foram mortos nestas festividades de finais de semana.
Diz o cronista que esta do outro lado do mundo, que a Justiça divina através da reencarnação reaproximou os responsáveis nesta tragédia do circo.
Portanto caro internauta, há diversas histórias documentadas entre os séculos XI e XIII de guerras cruéis contra os cristãos chacinados. Por outro lado, vamos raciocinar; se participamos no passado das tragédias em massa como seria nossa reaproximação num vôo, navio, incêndio, trem, carro se não saio de minha casa? Somente no futuro próximo quando estaremos do outro lado do telefone saberemos essa resposta. Portanto caro amigo(a), reparação já. O arrependimento agora abre espaço para a reabilitação. Ainda há tempo. Lembre-se: A cada um segundo suas obras.

De: Doni
13/06/2009

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *