Skip to main content

Você sabe controlar sua raiva?

Um apressadinho no trânsito quase bateu no seu carro. Seu sangue ferveu?Qual foi a sua reação?

Você recebeu uma critica negativa injustamente. Você aprendeu a lidar com ela e respondeu calmamente com suas considerações de que a pessoa foi infeliz ou deu tiros para todos os lados ?

No momento da raiva toda reação é emocional à sensação de estar sendo ameaçado.

Às vezes, você só precisa parar e pensar …

Morremos de medo de ser criticados,porque, quando recebemos uma crítica, somos desaprovados.
Imagine que alguém passa a sua frente na fila da padaria. Sem parar para pensar, você reage resmungando.

Você acha que seu comportamento foi impulsivo ou por raiva?
Imagine que o seu melhor amigo enviou a todos um convite para sua festa, exceto você. Você se sente magoado e rejeitado. Você se preocupou e ficou mais furioso. Ele o chama após a festa e deixa uma mensagem alegre no seu whatsapp mas você o exclui  de seu contato e a amizade termina.

Você só experimentou o que ruminação pode fazer a uma pessoa.

Será que seu convite se perdeu no envio do teu cel, ou ele queria convidá-lo de uma forma mais direta e pessoal?

Você nunca vai saber agora, porque você deixa seus pensamentos ir num lugar escuro e feio. Você criou uma acusação em sua própria mente, agiu de forma injusta sobre ele, e perdeu um amigo.

Lidar com a raiva requer equilíbrio.

Segundo Sigmund Freud, o grande psicanalista do século vinte, todos nós temos uma certa predisposição orgânica que a medicina não consegue explicar a origem de algum conflito. Esta se dá geralmente em algum órgão específico.

Desta forma, muitos de nossos adoecimentos repentinos despertam em nosso organismo. Nós guardamos a mágoa ou “fazemos de conta” que ela não existe. Como os sentimentos não morrem, eles são drenados no próprio ser, ferindo aquele que lhe deu abrigo.

Muitas amizades terminam por falta de diálogo, de sinceridade e humildade em reconhecer o erro. Casais guardam na memória brigas passadas de atritos que já ocorreram há meses ou anos , sem trocarem sequer uma palavra sobre o assunto, criando um clima silencioso o qual o ambiente fica amargo.

Diz o espírito Hammed: Em nenhum momento devemos nos permitir guardar a mágoa.

Diz “Joanna de Ângelis”: devemos recorrer à racionalização do ocorrido. Refletirmos sobre o desequilíbrio da outra pessoa, sobre sua insensatez e situação infeliz, o que faz com que a mágoa vá perdendo terreno para a compreensão e impedindo que o acontecimento venha a repetir-se continuamente na mente da criatura através do ressentimento.

Aguarde alguns minutos para permitir que seu corpo se recupere das sensações físicas que atingiram seu sistema quando você ficou com raiva.

Deixe a sua frequência cardíaca voltar ao normal, dar a seus músculos tempo para relaxar, e levar algum tempo para se acalmar.

Escolha algo para distraí-lo. Faça uma caminhada, pratique um esporte, assista televisão ou leia um livro, qualquer coisa para ficar longe dos pensamentos negativos.