Skip to main content

Você é importante

A vida de muitas pessoas provavelmente mudaria se alguém fizesse por donde
elas se sentissem importantes.
O professor Ronald Rowland, da Califórnia, contou a experiência que teve com
um estudante de nome Chris, no início de suas aulas de artesanato:
Chris era um menino muito quieto, tímido e inseguro, o tipo do aluno que, em
geral, não recebe a atenção que merece.
Também dou aulas numa classe avançada que se tornou uma espécie de símbolo
de prestígio e um privilégio para o aluno que conquistasse o direito de
ingressar nela.
Certa quarta-feira, Chris trabalhava com dedicação na sua prancheta. Com
efeito, pressenti que dentro dele ardia um fogo oculto.
Perguntei-lhe se gostaria de entrar na classe avançada.
Como gostaria de poder expressar a fisionomia de Chris!
Quantas emoções naquele garoto de 14 anos de idade, que procurava esconder
as lágrimas que afluíam aos seus olhos.
“Eu, Sr Rowland? E o senhor acredita que sou bom para isso?”
“Sim, Chris, acredito que é.”
Precisei me retirar nesse momento, porque eu é que estava prestes a chorar.
Quando Chris saiu da classe naquele dia, aparentemente um pouco mais alto do
que o habitual, olhou para mim com seus olhinhos azuis e vivos e disse, com
uma voz segura: “Obrigado, sr.  Rowland.”
Chris ensinou-me uma lição que jamais esquecerei – nosso profundo desejo de
nos sentirmos importantes.
Para ajudar-me a nunca esquecer desse presente, fiz um pequeno cartaz onde
escrevi: “Você é importante”.
Este cartaz ficou pendurado na entrada da sala de aula para que todos o
vissem.

E para que eu lembrasse de que cada aluno que tenho diante de mim é
igualmente importante.
*  *  *
Todos somos importantes. Todos temos algo de especial, que nos faz únicos.
Dessa forma, todos podemos aprender com todos.
O pensador Emerson resumiu num pensamento esta idéia.

Dizia ele:
Cada homem que encontro é superior a mim em alguma coisa; e nisto posso
aprender com ele.
Está aí a sapiência da humildade e a humildade da verdadeira sabedoria.
Está em reconhecer que temos muito de bom em nós.

Basta descobrir, conhecer,
investigar.
Toda proposta que leve ao autoconhecimento será sempre válida pois, além de
revelar o que em nós precisa de reforma, irá mostrar também o que brilha de
bom em nosso íntimo.
Por isso, se você hoje está num estado emocional de autodesvalorização, de
automenosprezo, lembre-se que é sua visão que está nublada, distorcida.
Nenhum de nós é insignificante.

Todos fazemos falta na esfera social onde
estamos envolvidos – família, amigos, trabalho.
Você é importante, e só em você está o caminho que leva para uma vida de
felicidade interior.

Redação do Momento Espírita com base no cap. 6, pt. Ii, do livro Como fazer
amigos e influenciar pessoas, de Dale Carnegie, ed. Cia Editora Nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *