Skip to main content

Superstições

O que você faz quando um gato preto lhe atravessa o caminho? E se derramar sal, sem querer?

Você acredita que plantas, como arruda e guiné, são segura proteção ao mal?

É interessante observar como no Século de tanta tecnologia, em que o homem conquistou a lua, envia naves para investigar o Cosmo, ainda se entretém com coisas da ignorância.

É comum visitar-se um doente e encontrar debaixo da cama tesouras abertas, carvões acesos.

Na era em que a medicina realiza extraordinárias cirurgias, devassando a intimidade do ser humano, ainda mesmo antes dele nascer.

Os supersticiosos são almas infantis. Preferem o temor ao amor, sufocam a esperança na desconfiança.

Ao invés de combater os inimigos de dentro, acreditam ser mais fácil se utilizar de subterfúgios.

Para o sucesso, a cor certa, o amuleto devido. Há os que falam em começar o dia com o pé direito. Oxalá Deus nos permita dispor dos dois – o que nos facilita a locomoção, não é mesmo?

Os que se deixam enlear pelas superstições acabam vítimas de enganadores da Terra e do Além, que os exploram. Basta lembrar das inúmeras cestinhas da fortuna à venda, dos gnomos da sorte, das bruxinhas, das flores exóticas ou populares para atraírem isso ou aquilo.

Também se tornam excessivamente preocupados, infelicitando-se.

O cristão que estuda e aprende sobre a Lei de causa e efeito sabe que nenhum mal o atingirá, se não estiver incurso nessa Lei como devedor. Por ter fé, confia na Providência Divina, que nunca desampara Seus filhos e a ela se entrega.

Se busca o êxito nos seus empreendimentos, esforça-se no estudo e no trabalho, caminhos que o conduzem ao progresso, sem dúvida.

As superstições e os supersticiosos são heranças da insensatez e do obscurantismo. É próprio do homem que prefere a treva à luz, o sofrimento ao amor, a piedade ao respeito.

Os que apregoam amuletos e fórmulas mágicas são criaturas que ainda se mantém presas ao pretérito da Humanidade.

Ninguém conceberia chamar Deus a um homem somente porque descesse de um avião.

Não se pode conceber que uma fita, uma planta, uma estátua possa nos modificar a vida. Seria jogar por terra conquistas intelectuais e morais já realizadas.

Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. A frase de Jesus tem mais de vinte séculos de existência. Continua atual. O convite persiste. Vamos ler e nos instruir?

Vamos movimentar nossas energias mentais nos pensamentos positivos na oração fervorosa?

Isso sim é libertar-se.

Você sabia?

…que aquilo que convencionamos chamar de sorte representa uma situação natural no mapa de serviços do Espírito reencarnado? Não há necessidade de intervenção dos Espíritos para a execução das experiências pessoais.

A chamada sorte é também uma prova de responsabilidade, pois cada um responde pelo que recebe, na vida.

Pensa em prosperidade, abundância, mas não só de valores materiais, e sim, dos demais bens de Deus, que são essenciais à vida para sempre.

Pensa e viverás consoante a onda mental que emitires.

Livro: Filho de Deus,-Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco.