Skip to main content

Seu cérebro em Deus

Quando pensamos sobre a nossa canção favorita, ou a nossa amada, ou conectamos com a espiritualidade com nossas orações ou  quando tomamos certas drogas uma parte do cérebro torna-se ativada.

Em um estudo publicado na revista Neuroscience social , os investigadores analisaram  que partes do cérebro foram envolvidos nos sentimentos espirituais em um grupo de mórmons devotos.

Que regiões em seus cérebros, os cientistas se perguntavam, estavam fazendo com que eles “sentissem o Espírito”?

Para realizar a pesquisa, os participantes do estudo foram submetidos a exames de FMRI, que analisam o funcionamento metabólico no cérebro. Eles estavam em repouso, então assistiram a um vídeo de controle que mostrava estatísticas da igreja, ouviam citações de Mórmon e outros líderes religiosos mundiais, liam o Livro de Mórmon, assistiam a um vídeo de cenas familiares e bíblicas e escutavam mais oito minutos de Citações.

Durante cada um desses segmentos, eles foram convidados a avaliar: “Você está sentindo o Espírito?”, Medido de uma série de “não sentimento”, a “sentimento muito forte”. Durante os picos dos sentimentos espirituais dos participantes, eles descreveram sensações de calor e paz, como se estivessem em um culto de adoração intensa.

Com base nos exames de FMRI, esses poderosos sentimentos foram associados à ativação no núcleo “accumbens”, região do cérebro que processa a recompensa, bem como o córtex pré-frontal medial, que lida com tarefas como valor, julgamento e raciocínio moral.

Regiões associadas à atenção focalizada também foram ativadas. Os cérebros dos participantes não eram a única parte do corpo a responder – seus corações também batiam mais rápido e a respiração se aprofundava.

“Estamos apenas começando a entender como o cérebro participa de experiências  espirituais, divinas ou transcendentes”, escreveu o autor sênior e neuroradiologista Jeff Anderson, MD, Ph.D., professor associado de radiologia na Universidade de Utah Escola de Medicina.

“A experiência religiosa é talvez a parte mais influente de como as pessoas tomam decisões que afetam a todos nós, para o bem e para o mal. Compreender o que acontece no cérebro para contribuir com essas decisões é realmente importante “, escreveu Anderson.

Os participantes do estudo Mórmon estavam reagindo aos sentimentos sobre o pensamento de seu salvador, e sobre estar com suas famílias para a eternidade, com base em suas crenças religiosas.

De: Kathryn Drury Wagner – escritora

Traduzido da Revista:  Spirituality & Health

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *