Skip to main content

Revelações sobre Marte através de Chico Xavier

Ela começa citando o astrônomo Frank Drake, que no dia 8 de abril de 1950 apontou uma antena para uma estrela próxima, com o objetivo de captar sinais.

Mas tudo o que ouviu, segundo ele, foi o silêncio. Porém, a astrônoma Duília de Melo, do Goddard Space Flight Center, da NASA, especialista no telescópio Hubble, sustenta que “o fato de nunca termos achado vida, não quer dizer que ela não exista”.

REVELAÇÕES MEDIÚNICAS

De fato, a astrônoma Duília de Melo tem razão, pois as revelações feitas pelo Espírito Maria João de Deus através do médium Francisco Cândido Xavier, no livro Cartas de Uma Morta, lançado em 1935, ao descreverem uma excursão ao planeta Marte, falam da existência de seres humanos, como poderemos constatar nos seguintes trechos do seu relato:

“Vi-me à frente de um lago maravilhoso, junto de uma cidade, formada de edificações profundamente análogas às da Terra. (…) Vi homens mais ou menos semelhantes aos nossos irmãos terrícolas, mas os seus organismos possuíam diferenças apreciáveis.

Além dos braços, tinham ao longo das espáduas ligeiras protuberâncias à guisa de asas, que lhes prodigalizavam interessantes faculdades volitivas. (…) Assegurou-me, ainda, o desvelado mentor espiritual, que a humanidade de Marte evoluiu mais rapidamente que a Terra e que desde os pródromos da formação dos seus núcleos sociais, nunca precisou destruir para viver, longe das concepções dos homens terrenos cuja vida não prossegue sem a morte e cujos estômagos estão sempre cheios de vísceras e de virtualhas de outros seres da criação”.

Além dessa revelação de Maria João de Deus, o Espírito Humberto de Campos, também realizando uma excursão ao planeta Marte, observou que as formas de vida nele existentes são bem superiores às da Terra.

A Sociedade Marciana está moral e cientificamente alguns séculos mais adiantada que a do nosso planeta, porque lá não existem guerras nem conflitos.

Observa-se, através desse relato, a perfeita concordância com os comentários do Espírito Maria João de Deus, inclusive sobre a superioridade dos habitantes de Marte.

Os relatos do Espírito Humberto de Campos, por intermédio do médium Chico Xavier, estão no livro Novas Mensagens, editado pela Federação Espírita Brasileira em 1939.

Nele, Humberto também revela a existência de água em Marte. Vale lembrar que somente em 2004, ou seja, 65 anos após a publicação dessa obra, a NASA apresentou as primeiras provas químicas e geológicas diretas da existência de água no passado de Marte, obtidas pelo robô Opportunity.

Posteriormente, em 2007, os cientistas da NASA descobriram a existência de enormes depósitos de gelo no pólo sul de Marte, detectados pela sonda espacial Mars Express.

No caso de tais depósitos se derreterem, eles podem se transformar numa reserva apreciável de água para Marte. Finalmente, no dia 31 de julho de 2008, a sonda Phoenix, que explora o solo de Marte, confirmou a existência de água no planeta.

A descoberta ocorreu depois que a Phoenix colocou amostras do solo em um instrumento que identifica os gases produzidos por substâncias. Para os técnicos, é a primeira vez que a existência de água é provada quimicamente.

O cientista William Boynton, da Universidade do Arizona, declarou que eles já tinham evidências de gelo em observações da sonda Mars Express, mas essa foi a primeira vez na qual a água em Marte foi tocada e provada.

JÁ NOS IDOS DE 1939 FORAM CAPTADOS SINAIS

Embora a matéria da jornalista diga que a pesquisa de vida inteligente fora da Terra teve inicio a partir de 1950, citando o astrônomo Frank Drake, a mesma ignorou as experiências realizadas pelo Instituto de Tecnologia da Califórnia, conforme a seguinte informação do Espírito Humberto de Campos, em seus relatos a respeito de Marte no livro Novas Mensagens, publicado em 1939:

“Todos os grandes centros deste planeta, esclareceu o nosso amigo e mentor espiritual, sentem-se incomodados pelas influências nocivas da Terra, o único orbe de aura infeliz, nas suas vizinhanças mais próximas, e, desde muitos anos, enviam mensagens ao globo terráqueo através de ondas luminosas, as quais se confundem com os raios cósmicos cuja presença, no mundo, é registrada pela generalidade dos aparelhos radiofônicos.

Ainda há pouco tempo, o Instituto de Tecnologia da Califórnia inaugurou um vasto período de experiências, para averiguar a procedência dessas mensagens misteriosas para o homem da Terra, anotadas com mais violência pelos balões estratosféricos, conforme as demonstrações obtidas pelo Dr. Robert Millikan, nas suas experiências científicas”.

Ora, se a mensagem recebida do Espírito Humberto de Campos por Chico Xavier se deu no dia 25 de julho de 1939, e se o mentor espiritual utiliza a expressão “ainda há pouco tempo”, isto é, antes dessa data, logo podemos concluir que a ciência terrena se preocupa com esse assunto há mais de 65 anos, e não 50, como afirma a matéria da jornalista Roberta Jansen.

A propósito, o Dr. Robert Millikan, citado na mensagem, foi um dos cientistas norte-americanos mais famosos dos anos vinte do século passado, sendo o segundo norte-americano a receber o Prêmio Nobel de Física, em 1923, pelo seu estudo sobre a carga eletrônica elementar e o efeito fotoelétrico.

Ele não só foi um grande cientista: seu lado religioso e sua natureza filosófica eram evidentes tanto nas conferências que promovia sobre a reconciliação entre Ciência e Religião, quanto nos quatro livros de sua autoria publicados. Millikan via no Universo e nos eventos humanos a manifestação de uma inteligência superior.

Afirmava que o único fundamento válido para o conhecimento racional consistia na combinação do espírito do físico com o do religioso.

OS CANAIS DE MARTE

Em determinado trecho da matéria “O silêncio dos ET’s”, existe o seguinte comentário a respeito da existência de canais em Marte: “A ideia da existência de ET’s inteligentes começou a ganhar força e a povoar o imaginário da população em geral e de escritores de ficção científica em particular a partir de observações feitas pelo astrônomo Giovanni Schiaparelli, em 1877, de um telescópio recém-construído.

Schiaparelli notou que a superfície do planeta vermelho era marcada por linhas e sulcos intrincados, que chamou de canais.

Ainda no século XIX, o astrônomo americano Percival Lowell retomou a ideia dos canais marcianos retomou a idéia dos canais marcianos – ele chegou a criar um centro para estudá-los – popularizando-a.

Tais canais, sustentava Lowell, só poderiam ter sido construídos por uma inteligência superior. A coisa chegou a tal ponto que ele chegou a localizar a região onde seria a capital de Marte, numa confluência de canais”.

A respeito da existência de canais condutores de água, vejamos o que diz o Espírito Humberto de Campos na mensagem sobre Marte, psicografada por Chico Xavier:

“Na atmosfera ao longe, vagavam nuvens imensas, levemente azuladas, o que nos reclamara a atenção, explicando-nos o mentor da caravana fraterna que se tratava de espessas aglomerações de vapor d’água, criadas por máquinas poderosas da ciência marciana, a fim de que sejam supridas as deficiências do líquido nas regiões mais pobres e afastadas do largo sistema de canais, que ali coloca os grandes oceanos polares em contínua comunicação, uns com os outros”.

Ora, se lá existe água, e sabendo que ela é o elemento primordial para que haja vida como a nossa aqui na Terra, é lógico admitir-se, sem medo de errar, a existência de seres inteligentes habitando o planeta Marte, naturalmente em outra dimensão física.

Afirma o astrofísico Mario Livio, do instituto responsável pelo Telescópio Hubble, que se os ET’s existem, o mais provável é que sejam mais avançados do que nós por, talvez, um bilhão de anos (vale lembrar que nós somos uma civilização tecnológica por cerca de 100 anos apenas e a probabilidade de outra civilização estar no mesmo estágio é extremamente remota).

Eles podem, inclusive, estar impedindo que nós os descubramos.

Além do mais, a possibilidade de recebermos um sinal que consigamos entender também é muito baixa. Entretanto, nunca saberemos as respostas, se não fizermos a experiência.

Publicado no Jornal Correio Espírita em abril 2010 / edição 58
Colaboração: Gerson Simões Monteiro – Thomaz Scalquo Cia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *