Skip to main content

Racismo – Somos todos Maju

Com a repercussão à jornalista Maju a menina do tempo do “Jornal Nacional” do comentário agressivo de um internauta. Ela deu seu recado e escreveu apenas: “Beijinho no ombro”. Agradeceu às manifestações de carinho com: “Os preconceituosos ladram, mas a caravana passa”, disse.
Ora, indagamos: existem raças mais adiantadas que outras?
Contudo, a Doutrina Espírita tem mais amplitude do que toda essa questão.

a) Todo ser humano é Espírito imortal criado por Deus em igualdade de condições, sujeitos às mesmas leis naturais de progresso que levam todos, gradativamente, à perfeição;
b) O progresso ocorre através de sucessivas experiências, em inúmeras reencarnações, vivenciando necessariamente todos os segmentos sociais, única forma de o Espírito acumular o aprendizado necessário ao seu desenvolvimento;
c) no período entre as reencarnações o Espírito permanece no Mundo Espiritual, podendo comunicar-se com os homens;
d) o progresso obedece às leis morais ensinadas e vivenciadas por Jesus, nosso guia e modelo, referência para todos os homens que desejam desenvolver-se de forma consciente e voluntária.
Com a reencarnação, desaparecem os preconceitos de raças, pois o mesmo Espírito pode tornar a nascer rico ou pobre, capitalista ou proletário, chefe ou subordinado, livre ou escravo, homem ou mulher, negro, branco, amarelo, etc.
É muito comum ouvir xingamentos do tipo: “que negra metida”, “essa negra se acha” “quem essa negra pensa que é?” O que aconteceu em Parma, Missouri, nos EUA, foi um exemplo da exacerbação máxima que uma mulher negra no poder pode causar. Muitos pensarão que se trata de notícia falsa, ou matéria de décadas passadas, mas não se enganem.
Tyrus Byrd, uma missionária cristã e escrivã da pequena cidade de aproximadamente 700 habitantes, resolveu se candidatar ao cargo de prefeita. Ela venceu o atual prefeito Randall Ramsey, que ficou 37 anos no poder. Após ser eleita a primeira mulher negra para o cargo, no dia 14 de abril, diversos servidores públicos como o procurador geral, dois funcionários da estação de tratamento de água e 80% dos policiais (cinco dos seis) pediram demissão alegando “questões de segurança”.. Afinal, o que pode ter de tão assustador e inseguro no fato de uma mulher negra governar a cidade?
Todos os funcionários que se demitiram são homens brancos, será que estamos perto de encontrar uma resposta?

Esta é velha mas vale a pena relembrar sobre racismo em um avião:
Uma mulher branca, de aproximadamente 50 anos, chegou ao seu lugar na classe econômica e viu que estava ao lado de um passageiro negro.

Visivelmente perturbada, chamou a comissária de bordo.

– Qual o problema, senhora?’ pergunta a comissária..

– Não está vendo? – respondeu a senhora – vocês me colocaram ao lado de um negro. Não posso ficar aqui. Você precisa me dar outra cadeira.

-Por favor, acalme-se – disse a aeromoça – infelizmente, todos os lugares estão ocupados. Porém, vou ver se ainda temos algum disponível.

A comissária se afasta e volta alguns minutos depois.

– Senhora, como eu disse, não há nenhum outro lugar livre na classe econômica. Falei com o comandante e ele confirmou que não temos mais nenhum lugar na classe econômica. Temos apenas um lugar na primeira classe.

E antes que a mulher fizesse algum comentário, a comissária continua:

-Veja, é incomum que a nossa companhia permita a um passageiro da classe econômica se assentar na primeira classe. Porém, tendo em vista as circunstâncias, o comandante pensa que seria escandaloso obrigar um passageiro a viajar ao lado de uma pessoa desagradável.

E, dirigindo-se ao senhor negro, a comissária prosseguiu:

-Portanto senhor, caso queira, por favor, pegue a sua bagagem de mão, pois reservamos para o senhor um lugar na primeira classe…

E todos os passageiros próximos, que, estupefatos assistiam à cena, começaram a aplaudir, alguns de pé.”

Portanto…..SOMOS TODOS MAJU