Skip to main content

O preço do perdão

Grande é a nossa responsabilidade diante da vida. Temos tanto a fazer que o tempo parece ser pouco. Diante dessa urgência que a vida nos impõe, temos que simplificar nossos atos e nos desfazermos de ilusões que só servem de fardo para nossa caminhada. Dentre esses entulhos emocionais que carregamos, a mágoa, a raiva e, as vezes, o ódio são os que mais pesam e impedem o nosso livre caminhar. Quando sentimos mágoa de alguém, devemos primeiro analisar nós mesmos, pois sabemos que somos espelhos uns dos outros. Tal pessoa que porventura tenha nos feito algum mal está, sim, nos mostrando nossos próprios defeitos, os quais não conseguimos enxergar. Como exemplo, determinada pessoa tem o hábito de falar muito, e isso incomoda você. Será que ela, com seu jeito franco, desbocado incomoda tanto simplesmente porque você não tem coragem para deixar claro o que pensa, sem rodeios e, aí, julgamos tal pessoa, escondendo de nós mesmos o nosso próprio medo de nos expor, temendo o que outros iriam pensar de nós? Por isso devemos nos isentar de apontar os defeitos dos outros, porque os nossos talvez sejam maiores e mais graves. Existe uma palavra, pequena em sua escrita mas que encerra uma grandeosidade quando colocada em prática:Perdão. Não devemos perdoar sete vezes mas setenta vezes sete, como disse nosso amado Mestre Jesus Cristo! Primeiramente, concedermos o perdão a nós mesmos, encarando de frente nossos erros e fraquezas pois, muitas vezes, esses deslizes nos fazem amadurecer e crescer. E o perdão a quem, de alguma maneira nos fez sofrer é uma das atitudes mais grandiosas que um ser humano é capaz. de realizar. O perdão liberta, alivia nossa alma e nos permite a paz no coração. Se alguém me perguntar qual é o preço do perdão responderei, sem a menor dúvida: a Paz! Paz com Deus, paz com minha alma e paz com os irmãos! !

De: Sueli Coelho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *