Skip to main content

Palavras de encorajamento

Certa vez, uma matilha de lobos estava viajando pela floresta, quando dois deles caíram num buraco.
Assustado o grupo rodeou o buraco e, quando percebeu quão profundo ele era, gritaram que os dois
podiam considerar-se mortos.

Os dois ignoraram o aviso e tentaram com toda a força e vontade pular para cima e sair daquilo que mais
parecia um precipício . A matilha continuou gritando que não adiantava tentar sair porque o buraco era
muito fundo e eles estavam perdidos, podiam economizar suas forças e considerar-se mortos. Depois de
algumas tentativas, um dos lobos prestou ouvidos ao aviso de que já estava perdido e desistiu, deitou-se e
morreu.

O outro lobo continuou tentando sair, colocando em cada pulo toda a sua força. Mais uma vez o grupo gritou
aconselhando a parar de tentar que isto só levava à frustração e sofrimento, que era melhor desistir e
morrer logo. Enquanto a matilha gritava o lobo no fundo do buraco pulava cada vez com mais força e
vontade até que conseguiu cair fora do buraco. Quando isto aconteceu os outros o rodearam perguntando,
você não nos ouviu? O lobo explicou que era surdo. Durante todo tempo, ele acreditara que o grupo o
estava encorajando.

Esta história ensina o seguinte:

Existe poder de vida e morte no que se diz. Dizer palavras de encorajamento para alguém que está
passando um momento difícil pode dar a energia e a ajuda que o outro precisa para completar uma tarefa.
Uma palavra destrutiva dita a alguém no momento errado, pode empurrar o outro ainda mais para o fundo
do abismo. Tenha cuidado com o que diz, tente sempre usar uma linguagem positiva com aqueles que
cruzam seu caminho. Qualquer um pode dizer coisas que roubam a energia que o outro precisa para
atravessar tempos difíceis.

O encorajamento não é uma ferramenta útil somente para executivos e gerentes, serve para todos, pai,
colega, filha, chefe, todos nós precisamos ouvir de vez em quando “Tenta que você vai chegar lá.”
Especiais são as pessoas que gastam seu próprio tempo para encorajar quem precisa.

Colaboração: Waldir Olivato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *