Skip to main content

O Tapetinho vermelho

Uma pobre mulher morava em uma humilde casinha com sua neta que estava muito doente.
Como não tinha dinheiro sequer para levá-la a um médico e, vendo que, apesar de seus muitos cuidados e remédios, a pobre criança piorava a cada dia, resolveu iniciar a caminhada de duas horas até a cidade próxima em busca de ajuda.
Chegando no único hospital público da região, foi aconselhada a voltar pra casa e trazer a neta junto, para que fosse examinada.
Quando ia voltando, já desesperada por saber que sua neta não conseguiria mais sequer levantar da cama sozinha, a senhora passou em frente a uma igreja e, como tinha muita fé em Deus, apesar de nunca ter entrado em uma igreja, resolveu pedir ajuda.
Ao entrar, encontrou algumas senhoras ajoelhadas fazendo orações.
A mulher se aproximou das senhoras, contou sua história e pediu que incluíssem em suas orações, a netinha querida.
Todas convidaram a sofrida senhora para juntar-se a elas e orar pela pequena.
Após quase uma hora de fervorosas orações e pedidos de intercessão ao Pai, as senhoras já iam se levantando quando a mulher disse:
– Eu também gostaria de fazer uma oração especial. E gostaria que vocês me acompanhassem.
Começou:
– Deus, sou eu, a Maria. Olha, a minha neta está muito doente, Deus; assim, eu gostaria que o Senhor fosse lá curá-la. Deus, anota aí que eu vou dizer onde fica.
As senhoras estranharam, mas continuaram ouvindo.
– Já está com a caneta, Deus? É muito fácil: o Senhor vai seguindo o caminho das pedras e quando passar o rio com a ponte, o Senhor entra na segunda estradinha de barro.
Não vai errar, tá?
As senhoras que tudo acompanhavam, estranharam a oração e algumas até se esforçaram para não rir.
Ela continuou:
– Seguindo mais uns 20 minutinhos tem uma vendinha… O Senhor entra na rua depois do pé de mangueira que o meu barraquinho é o último da rua. Pode ir entrando que não tem cachorro. Olha Deus, a porta ta trancada, mas a chave fica embaixo do tapetinho vermelho na entrada. O Senhor pega a chave, entra e cura a minha netinha, por favor. Mas olha só, Deus, por favor, não esquece de colocar a chave de novo embaixo do tapetinho vermelho senão eu não consigo entrar quando chegar em casa… Muito obrigada, obrigada mesmo, meu Deus. Conto com o Senhor!
A esta altura algumas senhoras já não continham os sorrisos, outras estavam surpresas e algumas aconselharam a velha senhora:
Olha, Dona Maria, as orações não funcionam assim… Existe uma maneira correta de rezar e pedir as graças desejadas…
Se preferir,continuamos rezando mais alguns minutos por sua neta e a senhora pode voltar para sua casa, está bem?
A mulher acenou com a cabeça, agradeceu e sentiu-se desconsolada, pois nem rezar por sua neta conseguiu fazer direito.
Chegando em casa, ao entrar, assustou-se ao ver a neta correndo ao seu encontro.
Cheia de alegria e felicidade, deu um grande e caloroso abraço na menina, dizendo:
– Minha neta, você esta de pé! Como é possível?!?
E a menina, olhando carinhosamente para a avó, disse:
– Eu ouvi um barulho na porta e pensei que era a senhora voltando; porém, entrou um homem no meu quarto, muito alto, vestido de branco e mandou que eu levantasse. Não sei como, mas eu simplesmente levantei.
E com os olhos cheios de lágrimas, a menina continuou.
– Depois ele sorriu, beijou minha testa e disse que tinha de ir embora, mas pediu que eu avisasse a senhora que ele ia deixar a chave embaixo do tapetinho vermelho…

Não importa como ou a forma que você reza.
O que importa é o coração puro e a fé que você coloca em suas orações.
Peça com fé, e você receberá.

De: Raquel Aguilar
cra_tuca@yahoo.com.br
Enviado por: Rosely Pedro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *