Skip to main content

O perdão é bom para a sua saúde

Estudos descobriram que o ato de pedir perdão pode colher grandes recompensas para sua saúde: diminuindo o risco de ataque cardíaco; melhorar os níveis de colesterol e sono ;  reduzindo a dor, pressão arterial e níveis de ansiedade , depressão e estresse . 

Se você erroneamente interromper alguém e perceber que você fez isso, é apropriado dizer que você está arrependido. Se você está atrasado para uma reunião, também é apropriado. Mas  quando você sabe que  deve se arrepender, mas você  não sente pena?

Na verdade, eles caem no que poderia ser denominado como a categoria passivo-agressivo – você sabe que a pessoa está ferida, você sabe que fez algo para contribuir para isso, mas você realmente não se sente compelido a se desculpar.

Concentrar-se  em dizer “sinto muito” de uma maneira simples e sincera é útil. A pesquisa é clara que o perdão é bom para a sua saúde . Você não pode obter muitas vezes o perdão, a menos que você pode admitir que estava errado, oferecer um pedido de desculpas sincero e pedir o perdão da outra pessoa. Houve muitos estudos de pesquisa realizados e muitos médicos têm escrito teses sobre a natureza do perdão.

“Sinto muito por sua perda”.

“Sinto muito que estava chovendo no dia em que você escolheu fazer um piquenique”.

 “Sinto muito que você não tenha sido convidada a ir para o baile”

São situações e oportunidades para as pessoas dizerem que estão arrependidas.

A pesquisa indica que 75%  britânicos e americanos  pedem desculpas por interromper alguém.

84% dos britânicos se desculpam por estarem atrasados ​​em uma reunião, em comparação com 74% dos americanos.

Karen Swartz , MD, diretora da Clínica de Consulta de Adultos de Transtornos do Humor no Hospital Johns Hopkins, diz:  “Existe um enorme fardo físico para ser magoado e desapontado”.

Assim,  quando você não está mesmo certo que você fêz qualquer coisa errada? Considere estas  etapas para estender um ramo aceitável:

Ouça o ponto de vista da pessoa e examine a situação de sua perspectiva. Você pode acreditar que você não fez nada de errado, mas o ditado diz “ouça os dois lados de cada história”.

Todos nós temos nossos  filtros que usamos para ver o mundo e as situações a nossa maneira.

É possível que seu filtro recuse você de toda a responsabilidade.

Veja …. “Eu sinto muito por qualquer papel que eu joguei nesta situação” pode ser um ajuste melhor.

Considere se há padrões para a dor que você pode causar outros.

Você já foi criticado pelo comportamento antes?

Há  comentários que as pessoas fizeram á  você?

Aproveite a oportunidade para se auto-refletir.

Às vezes, reconhecendo o comportamento – “Você está certo. Eu estava no topo em meus comentários  e percebi que envergonhei você. Desculpe “- pode ajudá-lo a identificá-lo e auto-corrigir na próxima vez.

Se você realmente acredita que a outra pessoa está errada, examine seus motivos para trazer a questão. O que há de provas? Existe uma história de decepções? Se as experiências passadas são deixadas de lado para apodrecer, você pode encontrar alguém que ainda esta  muito chateado em algo que para você acredita não é grande coisa. Considere sua história antes de descartar sua experiência.

Quando as crianças são pequenas e os pais dizem “peça desculpas para o seu irmão / irmã / amigo” e a criança se vira com uma desagradável desdém e diz “DESCULPE!” Sabemos que para  eles não significam nada isso.

Os adultos fazem isso também. Um simples “desculpe”seria ideal ser acompanhado que olhe a pessoa nos olhos e diga:  “Sinto muito pelo que aconteceu e o papel que fiz”. Ou: “Sinto muito por minhas ações terem criado esse problema para nós. Por favor, perdoe-me.
Perceba que algumas infrações precisam de mais do que um simples “Desculpe”.

Não espere de outra pessoa um  imediato  perdão.

O sacerdote no confessionário pode fazer isso, mas poucos seres humanos são capazes de fazê-lo.

Alguma pessoa que foi ferida de alguma forma pode precisar de tempo para processar e perdoar.

Não fique na  expectativa de um retorno imediato – deixe-os pensarem.

Faça o seu melhor, precisamos de pontes e não de muros.

Uma vez que você reconheceu o que você fez e tentou fazer essas emendas, siga em frente.

Bater de frente não vai mudar nada.

Use a oportunidade ao praticar o arrependimento e  de tornar-se mais consciente de si mesmo e dos outros.

Perdoar é ter a humildade de reconhecer que não somos donos da verdade.

E desculpe se algo  aqui ofendeu você!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *