Skip to main content

O maior problema

 

O homem é o centro.

O mundo é a periferia.

Todas as questões políticas e administrativas, todos os enigmas

sociólogos e passionais, que espalham na Terra as mais constrangedoras crises de

espíritos, dependem da solução de um problema único para serem convenientemente

decifrados – o problema do reajuste da nossa própria alma ante as Leis Divinas.

Não há um Mestre ausente da escola do mundo, mas sim aprendizes

que fogem indefinidamente à lição.

O Senhor não menospreza os tutelados que lhe aguardam a proteção,

mas como atender ao impositivo da comunhão se nos afastamos, sistematicamente,

d’Aquele que é a luz de nossos destinos?

Pulverizemos as cristalizações de egoísmo e orgulho, vaidade e revolta

que nos inibem a visão espiritual.

Desatulhemos o santuário íntimo, ocupado por inutilidades e ilusões e a

luz divina penetra-nos-á o coração, determinando novas atitudes à vida conscencial.

Somos, ainda, em nosso estágio evolutivo, quando confrontados com a

inteligência Perfeita que nos rege, humildes seres pensantes.

Ante a grandeza do Universo, as nossas limitações são comparáveis ás

que separam o verme da estrela.

Como penetrar nos domínios de Deus quando nos demoramos

imanizados à sombria concha do “eu?”

Com que títulos exigir novos planos do Amor Divino, se ainda

permanecemos em continuada recapitulação dos primários mandamentos da justiça

humanas?

Barro nas mãos sábias do oleiro, peçamos ao Senhor nos ajude a

suportar o fogo das experiências dolorosas e necessárias, a fim de que nosso espírito

adquira a luz indispensável para refletir a Eterna Sabedoria e, então, depois de liquidado

o escuro problema que somos nós, em nós mesmos, será lícito esperar, no mundo de

nossa alma, a luz da Alvorada Nova.

Do livro:

ASSIM VENCERÁS

FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER

Ditado pelo Espírito Emmanuel

Colaboração: Natalia Maria de Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *