Skip to main content

O FUTURO DA NAÇÃO NAS MÃOS DA INTELIGÊNCIA E DA CORAGEM DE UMA MULHER…

No meio de tantas incertezas políticas e sociais só faltava esta: a morte do fiel da balança na Justiça Brasileira.
No meio do mar de lama de desejo incontrolável de poder e de grana em que as facções políticas transformaram o país e que denegria lá fora o nome da nossa sociedade, havia uma luz no fim do túnel: como estava sendo conduzida a Operação Lava a Jato e outras correlatas – nunca em tempo nenhum se fez isso no mundo; tanto que ela se ramificou e ajudou a acordar uma sociedade estrangeira que se especializou sob o cínico manto da neutralidade a guardar tesouros fruto de pilhagem de sociedades por governos e pessoas tão corruptas quanto sinistras.
O mundo não é mais o mesmo e a verdade virá á tona de um jeito ou de outro, quer se queira ou não…
Evidente que havia e haverá uma gritaria dos envolvidos usando como argumento o cipoal de escapes jurídicos dos poderosos sob o nome de leis; mas dentro das possibilidades atuais havia luz no fim do túnel na tentativa de punir os mais sinistros e cruéis criminosos; porque são assassinos de oportunidades de desenvolvimento de vida e até de continuar vivo ou não de milhões de cidadãos: que são os antigamente chamados de “colarinho branco” hoje bastante encardido pela ralé em ética e capacidade que tomou de assalto o poder nacional.
O desdobramento das atitudes que virão a seguir pode ou não aumentar as suspeitas da possibilidade de um acidente planejado.
Praticamente todas as facções criminosas de colarinho branco ou não estão interessadas em matar a operação de justiça em andamento; daí que a mulher em questão está entre a cruz e a espada.
Caso o processo não sofra atrasos nem procrastinação de processos e penas como deseja não apenas os réus já envolvidos e os outros possíveis; mas também todos os que vivem e lucram com uma justiça que em razão desse cipoal de leis protetoras dos sinistros e vorazes poderosos – nessa tomada de decisão: ela e seus pares da suprema corte serão acusados de violar os direitos dos réus sob a batuta de uma Constituição violada por leis complementares que eles mesmos criaram para proteger seus interesses corporativos, pessoais e grupais.
Por outro lado se houver procrastinação e atrasos e até morte por asfixia da lava jato fica claro o envolvimento no esquema ou a falta de coragem; e isso corrobora para a imaginação nem tão fértil assim; pois ficará na cara de uma grande conspiração do destino como gostam de imaginar os religiosos como de outro tipo mais rasteiro.
Pelo passado e pela conduta neste presente dessas pessoas que terão o destino da nação nas mãos e na sua integridade pessoal acreditamos que tomarão a decisão correta; até porque hoje não há mais como o povo ter memória curta; não porque sua qualidade tenha melhorado tanto; mas pelo fato de que a tecnologia espalha e guarda memórias.
Cabe ao povo aguardar as decisões e cobrar sem demora; pois vivemos o início de uma guerra civil entre facções criminosas de todos os tipos e a ralé social pela falta de ética e de atitude: a classe média tão esperançosa sempre de privilégios, mordomias e conforto pode ser o fiel da balança ao assumir se manifestar; pois os marketeiros do terror sempre usaram e vão continuar usando os menos favorecidos pelo discernimento: os jovens secundaristas, os baderneiros de profissão e os excluídos de todos os tipos; eles vão fazer uso de palavras de ordem tão sem nexo no contexto da nação que podem levar a uma barbárie bem maior do que a andamento.
Enviemos vibrações boas para fortalecer a coragem e integridade aos que terão nas mãos nos próximos dias nossas perspectivas de futuro como nação.

De: Americo Canhoto – https://www.facebook.com/americo.canhoto?fref=ts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *