Skip to main content

Julgamentos e críticas destrutivas

Sabemos o que significa Julgamento?
Julgamento é, quando dizemos que alguém fez algo com determinada intenção,
mas como podemos dizer qual era a intenção da pessoa ao fazer determinada
ação? Somente quem pode saber o que estava pensando ao realizar a ação é a
própria pessoa e Deus. Como alguém pode definir o que passa na mente ou no
coração de outra pessoa?
Falaremos hoje sobre criticas e julgamentos, atitudes essas
que não nos trazem beneficio algum, são ações originarias do nosso ego,
manifestada através do egoísmo, orgulho, ignorância, maledicência,
impaciência e incompreensão. Muitas vezes o ser humano costuma naturalmente
achar que tem o direito de criticar e julgar os seus semelhantes, como se
fosse uma atitude normal, não tendo consciência de que é uma invasão.
Peço que façam uma reflexão: Quantas vezes você já criticou uma pessoa de
sua família, por não concordar com suas atitudes e suas opiniões? Reflitam
também, quantas vezes tiveram vontade que suas atitudes e opiniões fossem
aceitas?
Até mesmo quando criticamos o governo, será que é só pagarmos os
impostos e o governo que tem que fazer o restante? Somos cidadãos
responsáveis? Cuidamos do que é publico? Ajudamos a conservar uma praça?
Mantemos a cidade limpa? Cuidamos do meio ambiente? Ajudamos ao nosso
próximo? E no trabalho, quantas vezes criticamos chefes, colegas, clientes e
fornecedores? Será que somos profissionais perfeitos? Nunca erramos e não
temos mais nada há aprender? Quantas vezes cometemos deslizes por falta de
experiência ou porque temos algum problema pessoal, ou estávamos de má
vontade. Porque é tão fácil apontar os erros dos outros e continuarmos
acomodados não procurando  melhorar os nossos? Por que não fazemos o nosso
melhor e aceitamos as limitações alheias?
Mesmo em nossas amizades, nos dizemos tão amigos, mas em quantas
oportunidades queremos moldar os nossos amigos a nossa maneira, não
respeitando a maneira de ser de cada pessoa? Quantas vezes nos encontramos
apontando o que aos nossos olhos são defeitos, não aceitando suas limitações
como ser humano que são? Será que estamos cultivando as amizades com todo
afeto e respeito que se deve ter?
Agimos assim com todos, com nossos professores, governantes ou pessoas que
nem conhecemos (motoristas, balconistas, atendentes, no esporte ou com um
morador de rua) não nos perguntando, o que será que se passa em seus
corações? Será que estão passando por algum problema pessoal? Um ente
querido doente? Problemas de saúde? Dificuldades no trabalho? Falta de
oportunidade ou orientação quando criança ou adolescente? Uma infinidade de
possibilidades. Mas não! Queremos ser sempre os donos da verdade, será que é
justo julgarmos? Quantas vezes você foi julgado? Com certeza não gostou de
ser julgado ou criticado?
Na maioria das vezes agimos dessa forma, não aceitamos o que nos desagrada,
queremos que aprovem de qualquer maneira, o que no nosso ponto de vista
seja correto, vivendo um ciclo de ofendidos e ofensores, até que atinjamos a
consciência de agir de forma diferente através da paciência, compreensão e
respeito ao livre arbítrio, entendendo que todos somos seres em diferentes
graus evolutivos.
Não devemos julgar nem criticar ninguém, devemos sempre nos
interiorizar e fazermos a nossa parte, pois fazendo isto estaremos mudando o
mundo a nossa volta, e ele será muito melhor.
Não seja egoísta, tenha paciência e compreensão, aceitando as
limitações do ser humano, pois estamos sempre aprendendo e evoluindo.
Seja humilde, estenda sempre a mão e em tudo o que fizer dê sempre o melhor
de si, sendo regrado e honesto, cuide do meio ambiente, haja com
profissionalismo, seja um familiar presente e um amigão do peito, fazendo de
sua vida um exemplo para os que convivem com você e mesmo para os que não o
conhecem.
E sempre que possível leia sobre o Mestre Jesus, procurando seguir seus
exemplos e compreender seus ensinamentos.

De: Antonio Toffoli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *