Skip to main content

Joanna de Ângelis


Já não se dispõe de tempo para futilidade nem tão pouco para a ilusão. Estes são os momentos em que deveremos colimar realizações perenes. Para tanto, resolvamo-nos em definitivo produzir em profundidade, acercando-nos de Jesus e por Ele facultando-nos conduzir até o termo da jornada.

(Após a Tempestade)

As muitas aflições chamarão em breve o homem para as realidades nobres da vida. Não nos permitamos dúvidas, face à vitória da dissolução dos costumes ou diante da licenciosidade enlouquecedora. Quem fizesse o confronto entre Cristo e César, naquela tarde inesquecível, veria no último o triunfador, no entanto, era Jesus, o Rei que retornava à glória solar, enquanto o outro, logo mais desceria ao túmulo, confundindo-se na perturbação.

(Após a Tempestade)

Quando a aflição te visite o trabalho, desferindo golpes no teu coração ou conduzindo-te às sugestões do mal, recorda-te da oração singela à disposição de todos. Semelhante a ungüento sublime, não somente cicatriza o peito em chaga aberta, como vitaliza os melhores sonhos perturbados pela nuvem sombria do desespero, devolvendo a esperança e a paz.

(Messe de Amor)

Lá fora, além da cela do teu isolacionismo, está fazendo sol e Jesus, hoje como outrora, esquecido de si mesmo e das ingratidões dos homens e do mundo está recolhendo corações para a lavoura do amor.

(Dimensões da Verdade)

Na área do amor, quanto em todos os campos da ação nobre da vida, é necessário primeiro dar, a fim de um dia receber. O amor é, por conseqüência, o mais precioso investimento até hoje conhecido. Antes que dê os resultados a que propõe, produz, no nascedouro, as excelências de que se reveste: bem-estar, paz e alegria.

(Viver e Amar)

Destacam-se dois elementos na área da afetividade que não podem ser desconsiderados: o conhecimento e o sentimento. O conhecimento amplia os horizontes, mas o sentimento vivencia-os. O conhecimento liberta, porém o sentimento dá calor e vida.

(Amor, Imbatível Amor)

Há dois mil anos, as mãos de Jesus, atendendo ao impositivo da sua mente excelsa, semeou estrelas da caridade – filhas do amor – nos céus escuros das consciências, como um sol gentil a adornar de luz o firmamento.

(Dimensões da Verdade)

Há fome, sim, na Terra. Mas a mais elevada expressão de fome, hoje, como ontem, é a fome de amor.

Há crime, sim, na Terra. Mas a causa da criminalidade exagerada, hoje mais do que ontem, provém da fome de amor.

Há guerra e dor, sim, na Terra. Mas por fome de amor. É a fome de amor que está levando o homem ao desespero.

O amor, e somente o amor, propicia construções eternais.

(Dimensões da Verdade)

Os pais não são os construtores da vida, porém, os médiuns dela, plasmando-a, sob a divina diretriz do Senhor. Pensa, portanto, e cogita com maturidade, educando o filho que Deus te concede por algum tempo, nas diretrizes enobrecedoras da fé cristã, ministrando-lhe as lições vivas do exemplo dignificante.

(Lampadário Espírita)

O trabalho em favor dos outros, em serviço ativo, converte-se em alimento de paz, mantenedor da vida.

(Messe de Amor)

A paz do mundo é serva da paz do lar e esta é escrava da paz do homem.

(Dimensões da Verdade)

… A maior felicidade no amor pertence a quem ama.

(Lampadário Espírita)

O amor é a chama que arde atraente, oferecendo claridade e calor, ao tempo que alimenta com paz, face à permuta de energias entre quem ama e aquele que se torna amado.

(O Ser Consciente)

Afinal, em face do medo, deve-se considerar que o pior que pode suceder a alguém é advir a desencarnação. Se tal ocorrer, não há ainda porque temer, desde que morrer é viver.

(Leis Morais da Vida)

…Quando o amor se ausenta, a dor se instala.

(No Limiar do Infinito)

A dor, em qualquer situação,jamais funciona como punição, porquanto sua finalidade não é punitiva, porém educativa, corretora.

(No Limiar do Infinito)

Toda vida na terra é um hino de louvor ao Senhor de todas as coisas.

O sol que brilha, o coração que ama, a ave que canta, as mãos que socorrem, a flor que perfuma,

o ser que perdoa, o diamante que fulge, o sentimento que ajuda, são manifestações do

espírito de louvor que vivifica o mundo, entoando a música de gratidão à Fonte Doadora e Soberana da Vida.

(Florações Evangélicas)

JOANNA DE ÂNGELIS – DIVALDO FRANCO

Enviado por: Rosely Pedro


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *