Skip to main content

Exercício de paciência

Todo sábado o grupo de voluntários que trabalhava com Chico saía para fazer caridade.

Daí, de repente, chega um conhecido do médium, totalmente bêbado, que havia virado alcólatra.

Impacientes, a equipe pedia a Chico para irem logo fazer caridade, mas o paciente Chico acolheu o bêbado com alegria e pediu para ele começar a cantar algumas músicas.

“Cante aquela do Nelson Gonçalves, depois aquela do Altemar Dutra”

O bêbado, feliz, foi cantando.

E o grupo ficando mais impaciente para sair.

O bêbado tanto cantou tanto que ficou bom do porre.

Daí Chico falou para o grupo:

“Pronto irmãos, fizemos nossa primeira caridade de hoje”.

O bêbado, feliz, se ajoelhou aos pés de Chico, chorando:

“Só você me entende e é meu amigo…”

Depois Chico disse ao grupo:

“Ele perdeu a esposa e os filhos em um acidente de carro e sente-se culpado por isso, a partir daí virou alcólatra.

Não podemos julgar nossos irmãos”, concluiu.

2 comentários em “Exercício de paciência

  1. Não devemos julgar nossos irmãos, pois não sabemos as causas que o levaram a tais situações.
    Abraço fraterno, Mercedes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *