Skip to main content

Divaldo em Americana

O Parque de Eventos do Clube dos Cavaleiros de Americana – SP foi escolhido para poder receber com conforto as mais de 3.500 pessoas que ali se congregaram na noite de 30.09.2017 para poder ouvir a conferência espírita de Divaldo Franco.
Divaldo inicia a conferência fazendo referência às recentes estatísticas da OMS que projeta para o ano de 2025 que os óbitos provocados por problemas cardíacos, que hoje lideram o ranking de causa mortis, será ultrapassado pela Depressão em função dos suicídios.
Historiando o transtorno da depressão, Divaldo cita o Dr. Emil Kraepelin (1856-1926) psiquiatra alemão tido como o criador da moderna psiquiatria, por ter desenvolvido um novo sistema para diagnosticar as doenças mentais, contrariando a abordagem psicanalista de Freud que atribuía a fatores psicológicos a origem das doenças psiquiátricas, enquanto que o Dr. Kraepelin considerava-as como sendo uma decorrência de problemas orgânicos do cérebro.
Com base nesse novo pensamento o Dr. Kraepelin logrou diferenciar a Esquizofrenia do Transtorno Afetivo Bipolar, que até então era considerada uma única doença.
Os seguidos progressos da psiquiatria lograram identificar os Neurotransmissores substâncias químicas produzidas pelos células nervosas (Neurônios), com a função de enviar informações para outras células estimulando e impulsionando nossas reações. Essas substâncias – cerca de 64 (adrenalina, noradrenalina, dopamina, endorfina etc) – têm funções muito específicas. Algumas excitam, enquanto que outras são inibidoras.
Os Transtornos Mentais têm origem – no campo físico – pela carência ou excesso na produção dos Neurotransmissores.
A Psiquiatria materialista, que enxerga – por enquanto – o ser humano como sendo exclusivamente o corpo físico, atribui esses desequilíbrios na produção dos Neurotransmissores a fatores genéticos.
O Espiritismo considera a criatura humana como sendo um ser Bioespiritual (Espírito e corpo físico) gerador dos fatores básicos para os desarranjos estruturais do organismo biológico. O Espírito ao reencarnar atrai (impulsionado automaticamente pela Lei de Ação e Reação) as células sexuais – masculina e feminina – que melhor atenderão às suas necessidades evolutivas redentoras.
A cada um segundo suas obras, nos alerta Jesus.
Divaldo silencia por alguns segundos, dando aos ouvintes a chance de assimilar esses complexos conceitos, porém tornados simples pelo poder do conhecimento e pelo domínio das técnicas de esclarecimentos do conferencista.
Agora, Divaldo envereda por uma nova vertente das Psicopatologias: Obsessão.
Divaldo inicia a abordagem citando a questão 459 de O Livro dos Espíritos quando Kardec indaga aos Bons Espíritos: Influem os Espíritos em nossos pensamentos e em nossos atos? Ao que os Espíritos de Bondade respondem: Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário (a ponto de que), são eles que vos dirigem.
Em que pese o fato da relutância e refratariedade por parte da Psiquiatria, essa já admite a possibilidade da existência de espíritos catalogando no Código Internacional de Doenças – CID 10, item F 44.3 – o estado de transe e possessão como a perda transitória da identidade com manutenção de consciência do meio ambiente. Essa situação é considerada doença quando a pessoa não tem controle.
Divaldo volta a citar Allan Kardec: Entre os que são tidos por loucos, muitos há que são apenas subjugados e precisariam de um tratamento moral (Livro dos Médiuns, Cap XXIII, item 254, questão 6)
Obsessão não é loucura, mas pode provoca-la, caso a ação prejudicial de um Espírito sobre outro for pertinaz e não tratada a seu devido tempo. Nesse caso, é preciso compreender que a ação persistente pode produzir lesões físicas, muitas vezes irreversíveis.
Espíritos desencarnados adversários, direcionam à mente do hospedeiro físico induções hipnóticas carregadas de pessimismo e de desconfiança, de inquietação e de mal-estar, que estabelecerão as matrizes das obsessões, classificadas por Kardec como sendo: Simples, Fascinação ou Subjugação (equivocadamente chamada de Possessão).
A obsessão – transmissão mental de cérebro a cérebro – se expressa inicialmente como inspiração discreta para mais tarde fazer-se interferência da mente obsessora na mente encarnada, com vigor que alcança o seu apogeu na deplorável subjugação.
Os tratamentos acadêmicos, seja o psiquiátrico como o psicológico configuram-se indispensáveis produzindo melhoras no quadro. Todavia se os hospedeiros desencarnados não forem afastados, os mesmos permanecerão com a perseguição e vingança.
Somente quando ocorrer uma alteração do comportamento mental e moral do enfermo, direcionado para o amor, para o bem, conseguindo sensibilizar aqueles que estejam na condição de perseguidores, é que dar-se-á a recuperação recebendo no processo terapêutico o auxilio – imprescindível – dos medicamentos na reorganização da máquina cerebral.
Com o precípuo objetivo de enfatizar a necessidade da transformação moral e o amor como terapias indispensáveis no trato das obsessões, Divaldo transportando as recomendações de O Livro dos Médiuns para a prática narra a todos o caso da perseguição que sofreu por 40 anos de um espírito que era identificado por Divaldo como O Máscara de Ferro e que finalmente o perdoou pelas ações do passado quando Divaldo tomou em seus braços uma criança recém nascida abandonada às portas da Mansão e passou a dedicar-lhe total atenção, carinho e amor.
Emocionado o espírito que o perseguira por todos aqueles anos pousou gentilmente a mão em seu ombro e falou-lhe:
— Divaldo, até agora tu não me convenceste. Venceste-me pela paciência. Contudo hoje já não tenho mais como te odiar. Essa criança que aninhas com tanto carinho entre teus braços abriga o espírito de minha mãe que retorna ao plano físico.
Abençoada Doutrina que nos esclarece ensejando-nos a oportunidade de libertação, não só da obsessão como também das doenças, pois o Espiritismo nos informa de que todas as enfermidades de qualquer procedência encontram no Espírito as causas que as provocam no corpo.
O Espírito – ser real – é sempre o responsável por quaisquer ocorrências na existência física.
Enquanto houver no ser humano a predominância dos impulsos de violência e de ressentimento, de ciúme e de ódio, de amargura e de mentiras, maledicências e calúnias, a problemática da enfermidade nele predominará.
Quando a mente elabora conflitos, ressentimentos, ódios que se prolongam, os dardos reagentes disparados desatrelam as células dos seus automatismos, que degeneram, dando origem a tumores de vários tipos, especialmente cancerígenos, em razão da carga mortífera de energia que as agride.
A recíproca nos ensina a Doutrina Libertadora dos Espíritos, é igualmente verdadeira o pensamento salutar e edificante flui pela corrente sanguínea como tônus revigorante das células, passando por todas elas e mantendo-as em harmonia no ritmo das finalidades que lhes dizem respeito.
Compete-nos – exclusivamente a nós – fazermos desse conhecimento libertador o instrumento com o qual construiremos a nossa evolução moral e espiritual.
Não há, portanto, razão para nos deixarmos envolver pelo manto de pessimismo que os dias atuais vêm cercando a sociedade.
Em que pese os dias tumultuosos da atualidade onde as aflições, ódios, intolerâncias, sofrimentos e violências, dias em que as pessoas – ao invés de se amarem umas às outras como preconizado por Jesus – elegem se armarem umas contra as outras – no âmbito material e emocional – urge aceitar e viver a proposta de Jesus, amando mais, tornando-nos, assim, mais gentis, tolerantes, pacíficos e mansos de conformidade com os ensinamentos registrados no Sermão da Montanha, permitindo a formação de uma humanidade mais justa e feliz.
Embalando a todos nas suaves estrofes do Poema da Gratidão, Divaldo encerra a conferência, permitindo-nos sentir a presença do amor incondicional de Jesus a nos envolver.
Texto: Djair de Souza Ribeiro; Fotos: Sandra Patrocínio
Texto extraido de: www.facebook.com/mansaodocaminho/posts/1703348223022658

Posted by Mansão Do Caminho on Sunday, October 1, 2017

Posted by Mansão Do Caminho on Sunday, October 1, 2017

Posted by Mansão Do Caminho on Sunday, October 1, 2017

Posted by Mansão Do Caminho on Sunday, October 1, 2017

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *