Skip to main content

Confiança – uma alavanca para um novo tempo

Oposta à confiança está a depressão.

Precisamente a desconfiança engendra esta terrível víbora.

Mas a confiança desperta as mais ardentes e divinas inclinações do espírito.

Os seres celestiais podem aproximar-se das pessoas nas horas de confiança e o milagre da inspiração cria as mais harmoniosas aproximações.

A confiança precisa ser cultivada pois, do contrário, a pessoa afunda na inércia, em estado de depressão.

A confiança é o conhecimento direto: não pode haver traição ou prejuízo para quem desempenha a grande tarefa do Deus Vivo, que é confiar.

Aquele que é abençoado com a confiança não precisa de armadura.

Para termos boa saúde é preciso ter alegria em viver.

Mas, como podemos ser alegres se não confiamos no nosso próximo, no bem e na vida?

Sem confiança, nossos dias se tornam de uma feiura só.

Ficamos tristes, amargos, descrentes e… depressivos e doentes.

O bem-estar e a saúde são encontrados na confiança.

É preciso confiar no presente e no futuro, no conhecido e no desconhecido, no visível e no invisível.

Mas não vamos confundir confiante com afoito ou descuidado!

A vitória só é alcançada pela confiança e pelo coração aberto.

A fé corresponde à auto-hipnose, enquanto a confiança diz respeito à auto-análise.

A fé é indefinida em sua essência, mas a confiança confirma que o amoré infalível.

A manifestação da confiança é indispensável para a comunhão com Deus.

(Lucia Helena dos Santos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *