Skip to main content

SUICÍDIO, A PORTA FALSA

Desde que bebera a substância venenosa, Marina sentia-se morrer, sem morrer. Não queria viver mais. Experimentara o desprezo de Jorge, o jovem de quem se enamorara e com que acariciava o sonho de casar-se e criar os filhos. Foram dois anos de esperanças. Tudo em vão. Não dera ouvidos ao pai que costumava dizer-lhe: “cuidado […]

Leia Mais

Suicida após a morte

A morte física não é banho milagroso, que converta maus em bons e ignorantes em sábios, de um instante para outro. Há desencarnados que se apegam aos ambientes domésticos, à maneira da hera às paredes. Outros, contudo, e em vultoso número, revoltam-se nos círculos da ignorância que lhes é própria e constituem as chamadas legiões […]

Leia Mais