Skip to main content

A solidão como esconderijo

Tentar isolar-se dos outros,
é um mecanismo inconsciente de defesa que, nós usamos na tentativa de proteger nossa intimidade da vista dos outros.

É um tipo de reação instintiva das pessoas sem transparência, dos “lobos em pele de cordeiro” que se apresentam aos outros, muito, muito diferentes do que são. Alguns já trazem essa tendência vida após vida e outros simplesmente aprendem com a família na infância.

Na tentativa de nos protegermos nós criamos um emaranhado de barreiras psicológicas a fim de não permitirmos a aproximação ou o acesso a pontos que consideramos por demais íntimos; e acabamos, dia menos dia, caindo nas próprias armadilhas. Essa atitude é matéria prima para as doenças psicológicas de todos os tipos e matizes que vai da simples neurose até o grau máximo de esquizofrenia; autismo; Alzheimer; e mais grave: pode nos conduzir a atitudes de psicopata capaz de causar graves danos aos outros e ao planeta.

Na vã tentativa de delimitarmos até onde os outros podem chegar na nossa intimidade, nós acabamos ficando perdidos no próprio labirinto, que a princípio idealizamos como conforto de estarmos a sós conosco mesmos, e que, depois materializamos como solidão doentia.

Ficar a sós conosco mesmo é bom demais; mas cuidado; muito cuidado para não usá-la como fuga ou como esconderijo, perder-se em si mesmo e depois levar milhares de anos para se encontrar…

Ficar a sós é muito bom; mas ouse interagir e com mais coragem: mostrar-se como realmente é.

Se tiver crianças por perto desnude seu comportamento:

Nossa olha o que causou minha inveja; meu egoísmo; meu orgulho; minha mentira, etc.

Filho vem cá!

Se você perceber que estou repetindo isso:

Você me avisa! Me alerta!

Inevitavelmente a criança situação após situação logo percebe que aqui não é lugar de gente perfeita e que é muito mais fácil e inteligente mudar por vontade e desejo próprio do que para fugir do sofrimento.
Seja ousado vá desvestindo sua alma até que ela fique “peladona” frente ao universo. Não se envergonhe sua alma é linda como todas as outras.

Colaboração: Americo Canhoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *