Skip to main content

A era da insensatez

O Reverso da Mídia – (ou…  A Era da Insensatez)

Troque  de carro. Troque  de tevê.

Mude  para nossa operadora,  temos os melhores planos.

Beba  mais cerveja.Troque  de celular.(24  horas por dia,07  dias por semana)

Etc.,  etc., etc…

pois  vivemos na  Era da  Insensatez.

Não  estranhe se amanhã,    na abertura do  Jornal Nacional, anunciarem  o velório  da coerência,  “Consumo, logo existo.”

Na  sociedade consumista, quem  não consome não existe.

William  Bonner equiparou o telespectador  do Jornal Nacional a  Homer Simpson,

–  um sujeito preguiçoso,  burro, que adora ficar  no sofá, assistindo  tevê, comendo rosquinhas  e bebendo cerveja, e  que só dá mancadas  na vida.

O  mais preocupante, porém,  não é o fato  de termos como editor-chefe  e apresentador do maior  telejornal do país  alguém que nivela milhões  de telespectadores com  “Homer Simpson”…

A  pergunta que     devemos nos fazer  é:

–  E se William Bonner  tiver razão?

Como  foi que alcançamos  tal condição,

e  a quem interessa que continuemos assim…?

A  televisão amolece o  corpo,

a  televisão amolece o  espírito.

No  Brasil, segundo o Ibope,  as pessoas vêem, em  média, cinco horas  de tevê por dia.

O  sonho dos atuais diretores  televisivos é ter como  audiência  uma imensa  massa acrítica,         sem  uma real capacidade  de análise.

Um  público que não pensa que não questiona,  que é  facilmente manipulado,

que  compra quando e o  que  lhe mandam comprar…

Propagandas…Propagandas…Propagandas

Compre…Beba…Consuma…Exista

E  chega mais um domingo, e  o que já era ruim  consegue a proeza de  piorar ainda mais…

O  que dizer do Domingão  do Faustão?

E  o que dizer das  vídeo-cassetadas  do Faustão?

Pancadas  que ferem, tombos que  machucam…

“O ser humano ainda não tinha aprendido a amar o próximo e  já tinha inventado  a televisão,

que  ensina a desprezar o  distante.”

Millôr  Fernandes

Esta  apresentação será interrompida  por alguns minutos.

Voltaremos  logo após os            “Reclames do  Plim-Plim”…

Beba  com moderação…

“Uma série de estudos demonstra que, no Brasil, os jovens bebem cada vez mais e, ainda por cima, começam mais cedo.

É simplesmente risível imaginar que eles teriam mais cautela apenas ouvindo aquela rápida frase de alerta depois do sensualíssimo anúncio com mulheres estupendas.”

Gilberto  Dimenstein

Embriague-se  com moderação…

E  o que dizer de  Pedro Bial,

quando  se dirige aos  participantes  do Big Brother

chamando-os  de “nossos heróis”      e “nossos  mártires”?

(Quão  deturpados os conceitos  de heroísmo e martírio  transmitidos.   A  que ponto chegamos…)

Escola  pública localizada no sertão pernambucano.

Não  há acabamento nas paredes.

O  banheiro está interditado.

Há  um ano sem  merenda escolar.

Não  seria mais sensato qualificar  de heróis e mártires  os nossos professores…?

Eles  que, quase sem   nenhum reconhecimento, e  em condições tão  adversas, tentam manter acesa a chama do saber e do conhecimento.

muitas  vezes obrigados    a percorrer longas distâncias  a pé para chegar  à sala de aula…

Heróis  e heroínas  são também os pequeninos alunos com seus chinelos gastos,

Bial,  junte a produção do  BBB, e vão assistir    ao documentário                       “Pro Dia Nascer Feliz”,  do diretor João Jardim,  que aborda a situação  da educação no Brasil.

(é  o mínimo que formadores  de opinião deveriam  fazer…)

seja  no sertão nordestino,

seja  nas periferias de qualquer  capital…

Quem  sabe o próximo “reality  show” possa mostrar a  dura realidade de muitos                     professores  e alunos da rede  pública,

Aí sim teríamos um show de realidade…

E  o que dizer das  festas promovidas pela  produção do Big Brother?

Que  belo exemplo são para  os nossos jovens:

“Bebam para serem felizes, para promoverem farras sexuais”.

Obrigado,  Rede Globo.

Enquanto  professores e escolas  se esforçam para formar  cidadãos,

a  televisão fabrica consumidores.

Em  outubro, mês das crianças,  o valor gasto no  Brasil em publicidade  dirigida ao público  infantil foi de aproximadamente  R$ 210 milhões.

Neste  mesmo período,  foram  investidos no Programa  Federal de Desenvolvimento  da Educação Infantil  (FNDE) cerca  de R$ 28 milhões.

A  televisão transforma crianças  da mais tenra idade  em consumidores.

Especialistas  em comportamento infantil  têm constatado mudanças  significativas provocadas  pela exposição massiva  e precoce à publicidade.

*****

Segundo  constatado, dentre    as primeiras palavras  pronunciadas, as primeiras  intenções de transmitir  uma mensagem verbal,  já aparece   a  palavra “compra”…

Diante  da tevê, o telespectador  está fisicamente inativo.  Dos seus sentidos, trabalham  somente a visão e  a audição,      mas de maneira  extremamente parcial.

Os  olhos, por exemplo,  praticamente   não  se mexem.

Os  pensamentos estão praticamente  inativos:

não há tempo para raciocínio consciente e para fazer associações mentais, já que a atividade cognitiva está muito lenta.

Isso  ficou evidenciado em  pesquisas    sobre  os efeitos neurofisiológicos  da tevê.

O  eletro encefalograma e  a falta de movimento  dos olhos de uma  pessoa vendo televisão  indicam um estado de  desatenção,  de sonolência,  de semi-hipnose.

O  piscar da imagem, os  estímulos visuais exagerados  e contínuos, e  a passividade física  do telespectador, especialmente  seu olhar fixo,

fazem  com que  o cenário  seja semelhante a uma  sessão de hipnose.

Na  leitura, é preciso  produzir uma intensa  atividade interior:

num  romance,  imaginar o ambiente  e  os personagens;

num  texto filosófico      ou científico,  associar constantemente os  conceitos descritos.

A  tevê, pelo contrário, não exige nenhuma atividade  mental:

–  as imagens chegam prontas,  não há nada para  associar. Não há possibilidade  de pensar sobre o  que está sendo transmitido…,

…porque as velocidades das mudanças de imagem, de som e de assunto impedem que o telespectador se concentre e acompanhe a transmissão conscientemente.

Infelizmente,  a televisão vem ocupando  um crescente papel na  transmissão     dos caminhos da infância.

As  emissoras e os  anunciantes assumiram tal  incumbência   pensando  no seu próprio lucro  imediato,

e  não nas crianças ou  no futuro da nação.

Troque  de carro,…troque  de celular,…mude  de operadora, temos os melhores  planos,

beba  mais cerveja…

Compre!…Beba!

E  agora, os gols de  Tuna Luso e Itumbiara  pela “série C”  do campeonato brasileiro.

Deborah  Secco de calcinha e  sutiã

(Fonte: Folha de SP)

dá  recorde de audiência  à novela “Paraíso  Tropical”

E  no horário nobre:

Com  a “Dança  do Poste” de  Flávia Alessandra,

“Duas Caras” alcança 40 pontos no ibope pela primeira vez.

E  no nobre horário:

“Zorra Total”

O  segundo programa mais  assistido pelo público  infantil…

Propagandas…Propagandas…Propagandas

Compre…Consuma…Possua…aquela  espiadinha…

E  agora,…vamos  dar…..“Se vc quer eliminar fulaninho, ligue…

(maldade  tirar assim o dinheiro  dos pobres e dos  pouco instruídos…)

É dia de paredão:

Se  vc quer eliminar fulaninha,  ligue…”

“Passarinho quer dançar,

Tchu  tchu tchu…”

O  rabicho balançar

Porque  acaba de nascer

Quão  vazia uma vida pode  se tornar…

Que  infância

estamos  construindo?

Que juventude

estamos formando?

Recebido de:   um_peregrino@hotmail.com

Colaboração: Elisabeth Flausino Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *